WEC: Com Lucas di Grassi no elenco, Audi disputa etapa final no Brasil

Estão em jogo os títulos de campeão entre construtores e vice entre pilotos
Tom Kristensen se despede das pistas nesta prova
Lucas di Grassi volta ao palco de sua estreia pela Audi

O autódromo de Interlagos, em São Paulo, vai sediar pela primeira vez em sua história a etapa de encerramento do Campeonato Mundial de Endurance (WEC). A oitava e última prova da temporada 2014 está marcada para este domingo (30), com largada prevista para as 13h e duração de seis horas. Será a primeira vez desde a criação do WEC que o título de construtores é definido somente na prova final – já que a Audi venceu por antecipação esta disputa em 2012 e 2013.

Se para a Audi a etapa paulista representa o final de uma temporada emocionante, para pelo menos um de seus pilotos, o dinamarquês Tom Kristensen, a prova de São Paulo significa ainda mais. A etapa deste domingo marca a despedida das pistas do maior vencedor das 24 Horas de Le Mans, que passará a ter outras funções que não a de piloto no staff da Audi Sport. Nesta prova ele dividirá o Audi e-tron quattro #1 com o brasileiro Lucas di Grassi e com o francês Loic Duval.

No campeonato, Kristensen e di Grassi ocupam a quarta posição na classificação geral, com 102 pontos, e ainda têm chances matemáticas de conquistar o vice-campeonato. O trio do R18 e-tron quattro #2 da Audi, formado por Marcel Fässler, André Lotterer e Benoît Tréluyer, ocupa atualmente a segunda posição com 117 pontos. Pilotos da Toyota e da Porsche também lutam pelo vice-campeonato, o que torna a disputa deste fim de semana ainda mais emocionante. O título de pilotos já está definido em favor de Anthony Davidson e Sebastien Buemi (Toyota).

A disputa entre os construtores está difícil para a Audi, mas ainda restam chances matemáticas. A diferença na tabela entre a marca das quatro argolas e a Toyota é de 40 pontos, sendo que 44 estão em jogo em São Paulo. Esta, de certa forma, é uma situação atípica para a Audi. Em 2012, a conquista veio a três corridas do encerramento do calendário e, em 2013, o sucesso se confirmou de forma ainda mais impressionante: restando quatro de oito provas.

A decisão da atual temporada ocorrerá em um circuito adorado por boa parte dos pilotos. Com suas subidas e descidas, além de sequencias de curvas desafiadoras, Interlagos é uma pista de corridas à moda antiga. Apesar de ter recebido novo asfalto neste ano, suas principais características a distinguem de outros traçados mais modernos, o que agrada bastante os competidores.

A corrida deste fim de semana será importante para a Audi não apenas no aspecto esportivo. Em outubro deste ano, a empresa aumentou suas vendas no Brasil em 84,5% em comparação ao mesmo período do ano passado. Isso significa que a venda de modelos Audi praticamente dobrou para 10.866 unidades em apenas um ano. A partir de 2015, a Audi voltará a ter uma fábrica no Brasil, em São José dos Pinhais (PR).

Para o piloto Lucas di Grassi, correr em casa pela Audi é algo que sempre será lembrado com carinho. Foi nas 6 Horas de São Paulo de 2012 que Lucas fez sua estreia pela Audi Sport Team Joest, prova que abriu as portas para sua posterior efetivação na equipe.

Questões sobre o fim de semana
– Como terminará a disputa pelo título entre os construtores?
– Quais pilotos terminarão a temporada como vice-campeões?
– Qual serão os efeitos do novo asfalto de Interlagos sobre o comportamento dos carros?
– As mudanças climáticas tão características de São Paulo poderão definir o resultado da corrida?

Lucas di Grassi sobre o Autódromo de Interlagos
“Sou nascido em São Paulo e fiz minha estreia pela Audi nesta pista em 2012. É por isso que a prova de encerramento da temporada será um evento especial para mim. Interlagos, claramente, é uma pista diferente dos circuitos construídos recentemente ao redor do mundo. E é uma das duas únicas pistas do calendário em que pilotamos no sentido anti-horário. Além disso, as diferenças de relevo podem ser percebidas facilmente, tanto que já na primeira sequencia de curvas do circuito pilotamos em descida, em um ponto onde é muito fácil bloquear as rodas. Entre as curvas três (Sol) e cinco (Laranjinha), a pista é bastante veloz. Logo em seguida, temos de nos adaptar a um trecho muito sinuoso. A curva 13 (Junção) é seguida por um longo trecho em subida, onde é preciso retomar a aceleração o mais cedo possível, e de forma eficiente”.

Informações sobre a pista
Extensão: 4.309 km
Duração da prova: 6 horas
Recorde em classificação: Stéphane Sarrazin (Peugeot), 1m18s787 (196.890 km/h), em 08 de novembro de 2007
Recorde em corrida: Marc Gené (Peugeot), 1m21s027 (191.447 km/h), em 10 de novembro de 2007.
Pole position em 2013: Marcel Fässler/Benoît Tréluyer (Audi), 1m21s303 (190.797 km/h), em 31 de agosto.
Melhor volta em 2013: Tom Kristensen (Audi), 1m21s177 (191.094 km/h), em 01 de setembro.

Programação
Sexta, 28 de novembro
13:00 – 14:30 / Treino Livre 1
17:30 – 19:00 / Treino Livre 2

Sábado, 29 de novembro
10:00 – 11:00 / Treino Livre 3
15:20 – 15:45 / Treino de Classificação LMP1 e LMP2

Domingo, 30 de novembro
13:00 – 19:00 / Corrida (6 Horas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *