WRC: Nobre/Paula quebra nos primeiros 12 km do Rally da Suécia

Problema com o desembaçador de parabrisa tirou visibilidade dos brasileiros que bateram num barranco de neve na primeira Especial

Pouco mais de 12 km. Essa foi a extensão percorrida pela dupla brasileira Paulo Nobre/Edu Paula no Rally da Suécia, segunda etapa do Campeonato Mundial de Rali, o WRC. Um problema com o desembaçador do parabrisa do Mini Cooper fez com que Nobre/Paula perdesse a visibilidade. A dupla bateu num banco de neve ao lado da estrada em uma curva e ficou de fora do resto das Especiais programadas para esta sexta-feira (10/02).

Com o gostinho de “abrir os trabalhos” no Rally da Suécia ao ser o primeiro carro a largar nas Especiais, Paulo Nobre não esperava que o dia terminasse tão cedo. “Tô muito frustrado!! “Brincar de Loeb” abrindo a Especial é complicado, mas estava uma delícia até o parabrisa começar a embaçar. Daí pra frente tava na cara que ia dar “corinthianada”! Sem enxergar direito acabei fechando um pouco mais do que devia numa curva à direita e a frente do carro tocou o banco de neve da lateral da estrada. Isso foi o suficiente para o carro desestabilizar, rodar 180º e cair numa vala”, disse o piloto.

“Aí já tinha começado o show de horror. Isso quebrou o suporte do radiador e, por consequência, começou a vazar água. A ventoinha encostou na saída de escape e começou a pegar fogo. Depois do susto e de apagarmos o incêndio, conseguimos, com a ajuda do público, tirar o carro e tentamos voltar para a prova. Mas o motor superaqueceu com a falta de água no radiador e paramos assim que o alarme no painel acendeu. Se não fosse a desgraça do desembaçador dar problema, mas como já falei outras vezes, “se” não existe. Se não tivesse ocorrido ali, aconteceria mais para frente, afinal, não estávamos nem no meio da Especial e o parabrisa só iria embaçar mais ainda. Peço desculpas a todos que estavam torcendo tanto por nós!”, desabafou Nobre.

A dupla brasileira encerrou o dia na 45ª colocação da prova fazendo o uso do “Super Rali”. Neste recurso, o tempo de quem não completa as Especiais passa a ser a melhor marca de sua categoria com o acréscimo de cinco minutos.

Com a chegada do carro ao Parque de Serviço, a equipe fez uma avaliação no equipamento e constatou que no momento que o motor superaqueceu, queimou a junta do cabeçote, que também empenou com a alta temperatura. Apesar dos problemas no equipamento, Paulo Nobre e Edu Paula retornarão às trilhas neste sábado. “Já fomos avisados que o motor foi muito danificado, mas enquanto o carro andar vamos seguir na prova e aproveitar para nos familiarizarmos ainda mais com o Mini”, concluiu Nobre.

O segundo dia do Rally da Suécia será composto por oito Especiais, sendo quatro trechos percorridos duas vezes pelos competidores.

Classificação do Rally da Suécia após um dia.
1º Jari-Matti Latvala/Mikka Anttila (Ford Fiesta), 1h23min50s8
2º Mikko Hirvonen/Jarmo Lehtinen (Citroen DS3), a 16s8
3º Petter Solberg/Chris Patterson (Ford Fiesta), a 18,6
4º Mads Ostberg/Jonas Andersson (Ford Fiesta) , a 32.3
5º Evgeny Novikov/Denis Giraudet (Ford Fiesta), a 1min12s1
6º Henning Solberg/Ilka Minor (Ford Fiesta), a 1min48s5
7º Sebastien Loeb/Daniel Elena (Citroen DS3), a 2min08s9
8º Patrik Sandell/Staffan Parmander (Mini Cooper), a 2min18s8
9º Martin Prokop/Zdenek Hrüza (Ford Fiesta), a 2min26s9
10º Eyvind Brynildsen/Cato Menkerud (Ford Fiesta) , a 2min59s8
45º Paulo Nobre/Edu Paula (Mini Cooper), a 44min45s3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *