WRC: Nobre/Paula volta ao WRC na Grécia

Dupla brasileira estréia no Rally de Acropolis novo carro e nova equipe

A dupla brasileira Paulo Nobre/Edu Paula está de volta ao Campeonato Mundial de Rali, o WRC. Neste final de semana, eles participarão do Rally de Acropolis, na Grécia, um dos mais tradicionais da modalidade, e terão muitas novidades para se adaptar durante todo o rali. Está será a primeira vez que eles disputarão essa prova, além de terem um carro novo e uma equipe nova.

Nobre e Paula integrarão a equipe Ralliart Italy, campeã em 2009 e 2010 na categoria Production do WRC e terão a sua disposição um Mitsubishi Lancer Evolution X R4. Trata-se do mesmo modelo que a dupla utilizou no WRC em 2010, quando ela correu pela categoria Production, mas essa versão preparada pela equipe italiana é mais leve e possui uma preparação maior para fazer parte da categoria S-WRC, que também conta com os carros da classe S2000 (tração 4×4 e motores de 2.0l aspirados). Nobre já teve seu primeiro contato com o carro em um treino de curta distância.

“O treino foi muito bom pra ter o primeiro contato com o carro novo, um Evo X R4! Na verdade a diferença dele para um N4 é o peso, uns 70 kg mais leve, e a suspensão que pode sofrer algumas alterações tornando o carro mais de rali do que um carro standart de rua. Deu pra sentir que fica mais ágil e mais forte, mas ainda não deu pra tirar muitas conclusões, foi só um treino de uns 60km”, explicou Nobre.

O Rally de Acropolis foi disputado pela primeira vez em 1951 e em 1973 ele passou a integrar o calendário do WRC. O piloto com mais vitórias é o britânico Colin McRae, com cinco conquistas neste rali conhecido por ser muito duro. Paulo Nobre já teve uma amostra do que virá pela frente. “ Pois é, a equipe é nova, carro novo, categoria nova, patrocinador novo. Mas as Especiais. Essas continuam as mesmas! Meu Deus, o que tem de pedra solta aqui é brincadeira, isso fora as que vão nascendo do chão a cada passada dos carros, que vão desgastando os trechos e desenterrando as danadas. Hoje vamos começar o reconhecimento das Especiais. Se forem parecidas com a do treino de hoje. Sai de baixo! Esse rali vai ser literalmente de sobrevivência! Um “mix” de Argentina e Jordânia”, disse o piloto brasileiro, se referindo a outras provas conhecidas pelas pedras e dificuldades encontradas nos trechos.

Os competidores percorrerão um total de 1.217 quilômetros de prova, dos quais 348 serão cronometrados. Serão 18 Especiais divididas em três dias; seis trechos na sexta-feira, sete no sábado e cinco no domingo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *