500 Milhas Granja Viana: Equipe de deficientes é a novidade das 500 Milhas em 2006

Time terá quatro pilotos paraplégicos e um deficiente auditivo.

Conhecida por contar com estrelas de diversos quilates do automobilismo nacional e internacional, as 500 Milhas de Kart Granja Viana terão um exemplo de vida e superação em sua décima edição, marcada para os dias 2 e 3 de dezembro no Kartódromo de Cotia (SP). Além das equipes lideradas pelos astros de Fórmula 1, IRL IndyCar Series e Stock Car, entre outros, um grupo em particular chamará a atenção de todos os presentes: em uma iniciativa inédita no esporte, um time composto apenas por deficientes participará de uma prova endurance no Brasil.


A equipe Igualdade de Todos (Thyssen Group/Heliar/Medley/Molas Lobo/Caras/Guido Simplex) terá em sua formação quatro paraplégicos: Paulo Polido, Sérgio Vida, José Pacheco e Thiago Cenjor, além de um deficiente auditivo, Julio Reis. Segundo Polido, primeiro deficiente físico a disputar o Rally dos Sertões, o objetivo do time é chamar a atenção para a pesquisa de células-tronco adultas e incentivar o deficiente a praticar esportes e aceitar os diversos desafios do dia-a-dia com naturalidade. “Queremos chamar a atenção para os deficientes. Estamos nos dedicando integralmente para isso e pretendemos fazer barulho, como nos Sertões. Claro, também queremos vencer”, afirmou Paulo.


Para disputar as quase 12 horas de prova com a devida segurança, a equipe terá um privilégio em relação às outras 74 inscritas: dois karts prontos para correr. Os equipamentos, adaptados com os comandos de aceleração e frenagem tanto no volante quanto nos pedais, terão acessórios especiais para prender as pernas dos pilotos paraplégicos, evitando que elas se mexam com a trepidação na pista. “Como há o risco da nossa perna pular para fora do kart em uma ondulação e causar um grave acidente, andaremos bem imobilizados. Na hora da parada, enquanto um piloto retorna aos boxes, o outro já estará pronto, já dentro do kart, esperando para sair. Calculamos o tempo padrão de um pit-stop (em torno de 40 segundos) e ficaremos parados até dar esse tempo. Não queremos levar vantagem sobre os outros nesse quesito”, continuou Polido.


Com longa experiência no kartismo, Julio (terceiro colocado na última edição das 500 Milhas) e Sérgio serão os responsáveis pelas orientações aos estreantes Paulo (piloto de rali), José (esportista) e Thiago (velejador). Enquanto o diálogo com Sérgio será feito sem nenhum tipo de problema, um dos maiores desafios será a forma de comunicação do grupo com Júlio o único deficiente auditivo do grupo. “Será uma comunicação gestual, com mímica e tradutores especiais: os pais do Julio, que estarão sempre do lado ajudando-o a transmitir as sensações do kart e da pista para nós”, disse Paulo. O desgaste também será um ponto importante para o grupo. “Todos estão realizando um condicionamento físico intenso para agüentar a maratona”, ressaltou.


Mesmo antes dos karts entrarem na pista, os resultados positivos já estão sendo sentidos pelos pilotos. “A receptividade está muito boa. Estamos sendo apoiados por muita gente, inclusive pilotos e pais de competidores. Todos adoraram a idéia e isso mostra que estamos no caminho certo para continuar insistindo em nossa luta”, concluiu Polido. Quem quiser mais informações sobre a equipe e as pesquisas sobre as células-tronco pode acessar o endereço da ONG Igualdade de Todos na Internet pelo www.viqui.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *