Após acidente na 1ª corrida, Bernoldi ganha 9 posições e termina em 6º

Brasileiro da equipe Vitaphone Racing fez corrida de recuperação neste sábado em Abu Dhabi; dupla formada por Romain Grosjean e Thomas Mutsch venceu a corrida principal.

Depois de iniciar o sábado em Abu Dhabi com a notícia de que largaria da segunda posição por causa de uma punição aos Corvette em vez do terceiro lugar conquistado ontem na pista, Enrique Bernoldi mantinha boas expectativas para a corrida de classificação, que pontua os três primeiros colocados e define o grid para a segunda corrida, a Championship Race. No entanto, as coisas não saíram como planejadas, e Miguel Ramos – parceiro do paranaense na condução do Maserati MC12 – envolveu-se em um acidente já na primeira curva do circuito Yas Marina, palco da primeira rodada dupla do Campeonato Mundial de GT1.
Com o abandono da dupla, Bernoldi foi obrigado a largar do fim do grid na corrida noturna, na 15ª posição. Em um circuito de ultrapassagens difíceis e longas retas – prejudiciais para o MC12 por causa do lastro de 25 quilos que leva, além do menor diâmetro dos restritores de ar do motor, impedindo que o carro alcance sua potência máxima – não permitiram que o paranaense fosse além do sexto lugar na corrida, vencida pelo Ford GT de Thomas Mutsch e Romain Grosjean.
“Poderia ter sido um melhor resultado, porque tínhamos tudo para andar mais forte. Mas por outro lado, olhando o trabalho que a equipe fez após o acidente da primeira corrida o resultado pode ser considerado ótimo, porque na batida o carro ficou bastante danificado”, afirmou o piloto, com passagens pela Fórmula 1. “Os reparos foram concluídos poucos minutos antes da segunda corrida”, lembrou.
Mesmo largando de um lugar desprivilegiado, Bernoldi escalou nove posições no pelotão em três voltas. Após a troca de pneus e pilotos, na metade da corrida, Miguel Ramos manteve a sexta colocação até cruzar a linha de chegada. Bernoldi julgou o resultado como positivo por causa do trabalho de reconstrução do Maserati MC12. Mas disse que melhoras precisam ser feitas. “Os outros carros abriam de nós na reta, porque temos o carro que mais sofreu restrições por parte da organização do campeonato. Mas ficamos atrás por causa disso e não podemos mostrar nosso verdadeiro potencial, enquanto alguns carros, como o Ford GT, está correndo sem nenhum tipo de penalização de desempenho”, apontou. 
“Para a próxima corrida eu não acredito que vão tirar algo das nossas restrições, mas acho que deverão adotar mais medidas quanto aos outros carros para equilibrar mais a competição”, disse o piloto da Vitaphone Racing, pentacampeã entre equipes na GT1.
A segunda etapa do Mundial da categoria dos carros mais desejados do planeta acontece no dia 2 de maio no circuito de Silverstone, na Inglaterra. Será a primeira vez que o novo traçado inglês receberá uma competição internacional. O autódromo foi reformado e teve novas mudanças no layout para continuar a receber pelos próximos anos o Grande Prêmio da Inglaterra de Fórmula 1.
“É uma pista boa para o Maserati. Tem curvas de alta velocidade, mas também tem retas longas, o que até agora tem sido a pedra no nosso sapato. A equipe está ciente que tem que melhorar, e isso foi visto hoje. Vamos trabalhar intensamente até lá”, afirmou.
Confira os seis primeiros no resultado da corrida:
1-) Thomas Mutsch/Romain Grosjean – Ford GT
2-) Andreas Züber/Marc Hennerici – Corvette C6
3-) Mike Hezemans/Andrea Piccini – Corvette C6-R
4-) Andrea Bertolini/Michael Bartels – Maserati MC12
5-) Ricardo Zonta/Rafael Daniel – Lamborghin Murciélago
6-) Enrique Bernoldi/Miguel Ramos – Maserati MC12

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *