ChampCar: Brasileiros testam nos EUA

NULL

 


Os brasileiros Antonio Pizzonia e Enrique Bernoldi começaram a testar nesta terça-feira o Lola/Cosworth de Fórmula Mundial da Rocketsports Racing, no MSR (Mercedes-Benz of Sugar Land Road Course), em Houston, no Texas. O amazonense completou 60 giros pela manhã, enquanto que o paranaense deu cerca de 40 voltas na pista que tem 17 curvas em suas 2,4 milhas de extensão. “Gostei da experiência e acabei virando rápido para as condições. No segundo dia de testes devemos melhorar bastante”, comentou o ex-piloto da equipe Williams de Fórmula 1. “É tudo muito diferente e eu tive alguns problemas. Nesta quarta-feira as coisas devem se encaminhar melhor”, emendou o ex-piloto de testes da BAR (atual equipe Honda) na Fórmula 1.
 
Com a pista muito suja, Antonio Pizzonia usou as primeiras voltas para aprender o traçado e conhecer o Fórmula Mundial. No final, mesmo com pneus usados e com o circuito ainda sem emborrachamento, ele foi cronometrado em 1min11s60, excelente marca para o dia. “Depois de tanto tempo sem guiar um carro de corridas, demorei um pouco para me adaptar, já que era tudo bastante diferente para mim. O carro tem uma potência boa, mas ele é grande e exige uma pilotagem diferente. A grande diferença está no acerto aerodinâmico. Na parte mecânica, principalmente em curvas de baixa, não é grande a difeença para um Fórmula 1”, comparou Pizzonia. Na semana retrasada, usando pneus novos e com a pista em melhores condições, o canadense Paul Tracy foi apenas um segundo mais rápido do que o brasileiro.
 
Mesmo com a pista melhor a tarde, Enrique bernoldi não conseguiu dar uma grande seqüência de voltas, já que teve que fazer várias paradas para alterar o carro para as suas características de pilotagem.
“Não foi aquele dia bom. Tivemos que mudar a posição de banco, volante, pedaleiras, trabalhamos no acerto. Mudamos muitas coisas. O carro é bem diferente do Fórmula 1. Achei o volante bem pesado, tive que me readaptar a fazer o punta-taco, e levei tempo para me acostumar. Basicamente foi um dia de aprendizado”, explicou Bernoldi. “É tudo bem diferente ao que estou acostumado, mas o carro tem bom grip, principalmente por causa dos pneus slicks, e gostei dele em curvas de baixa”, encerrou.
 
O teste dos brasileiros faz parte do projeto Team Brazil, criado pelos empresários brasileiros Marcelo de Oliveira, Paulo Isper, Fernando Gomes e Renato Lopes – que estão acompanhando os dois dias de testes – e imediatamente apoiado pela Rocketsports Racing, que visa aumentar a participação brasileira na Champ Car ao mesmo tempo em que divulgará a categoria no Brasil. “A equipe parece bem motivada e trabalha bem. Tudo funcionou perfeitamente para o dia, já que não aconteceram problemas de quebra ou falhas. Depois do primeiro dia de adaptação, nesta quarta-feira o dia será bem mais produtivo”, assegura Fernando Gomes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *