Copa das Federações: Mais um bom resultado para o Audi R8 LMS

Xandy Negrão e Andreas Mattheis sobem ao pódio após 3 horas de corrida e 172 voltas no circuito do Velopark

A 2ª etapa da Copa das Federações de Endurance, que foi realizada no circuito do Velopark, em Nova Santa Rita, no Rio Grande do Sul, terminou com a vitória da Ferrari F430, de Chico Longo e Daniel Serra, seguido do Audi R8 LMS pilotado por Xandy Negrão e Andreas Mattheis.

Com 3 horas de duração, a corrida teve a bandeira quadriculada após 172 voltas no circuito. A Equipe A Mattheis liderou boa parte da prova. “Até metade da corrida foi muito bom, tivemos a chance de ultrapassar a Ferrari e nos demos bem com nossa estratégia, chegamos a ficar 2 voltas na frente, mas eles foram beneficiados pelas paradas em safety car”, explica Xandy Negrão.

Na volta 94, Xandy que pilotava o carro alemão entrou para o pit stop, para abastecimento, troca de pneus e de pilotos e entregou o carro para Andreas. “Achei o carro constante. Da primeira até a última volta absolutamente igual. Fiquei contente de ter participado de mais uma etapa da Endurance”, conta Andreas.

“O momento que estávamos esperando para fazer nossa parada, não teve safety car, então com isso perdemos mais tempo no pit stop e a equipe da Ferrari teve esse beneficio. No geral fomos bem na corrida, nossos pilotos ficaram satisfeitos com o carro e o trabalho da equipe. Já sabíamos que seria difícil bater os tempos da Ferrari GT2”, explica o chefe de equipe Rodolpho Mattheis.

A próxima etapa da Copa das Federações de Endurance acontece também no circuito do Velopark, no dia 17 de outubro. A novidade da corrida é que será noturna junto com a festa da Oktoberfest , com direito a encontro de motos, 3 telões transmitindo a prova e transmissão ao vivo pela TV local.

Resultado da prova:

1) Longo/Serra, 172 voltas em 2h59min44s283;
2) Negrão/Mattheis, a 33s;
3) Andrade/Justo, a 5 voltas;
4) Toledo/Ventura/Cardoso, a 8 voltas;
5) Alexandre Finardi, a 17 voltas;
6) Marini/Bertuol, a 19 voltas;
7) Molo/Caparelli, a 19 voltas;
8) Menezes/Costa/Rutzen, a 21 voltas;
9) Steyer/Poeta/Pretto, a 22 voltas;
10) Dem Dorenelles, a 29 voltas;
11) Marcio Martins, a 33 voltas;
12) Ávila/Bottaro, a 34 voltas;
13) Bana/Bana, a 37 voltas;
14) Gotti/Borini/Prado, a 40 voltas;
15) Terres/Terres, a 48 voltas;
16) Silveira/Pereira, a 54 voltas;
17) Toso/Junqueira, a 80 voltas;
18) Camargo/Cardoso, a 81 voltas;
19) Stedile/Stedile, a 95 voltas;
20) Ponsoni/Fantin, a 138 voltas;
21) Cardoso/Frey, a 143 voltas;
22) Heriberto Heinen, a 159 voltas;
23) Pretto/Toigo, a 166 voltas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *