Copa Vicar: Campeão de 2004, Pachenki busca vitória e patrocínio na Copa Vicar em Interlagos

Paranaense disputa primeira etapa da Stock Car Light apostando em bom resultado para garantir verba necessária à seqüência de sua campanha.

A primeira etapa da Copa Vicar Stock Car V8 Light será decisiva para o futuro da carreira de Diogo Pachenki. Campeão brasileiro em 2004, o paranaense volta ao grid da categoria na corrida que vai integrar domingo (13), no autódromo paulista de Interlagos, a abertura da temporada da Stock Car V8, da Stock Jr. e da Pick-up Racing. Um bom desempenho nos treinos da corrida poderá determinar a permanência do piloto na competição.


Pela primeira vez, Diogo competirá pela Pachenki Motorsport, equipe fruto de uma sociedade de Jairo Pachenki, seu pai, e o preparador José Carlos Zereu. Desde sua chegada ao evento, em 2003, ele defendia a PowerTech. “Vou para a pista com verba garantida para disputar só essa corrida. Então, o desafio é duplo, tenho que brigar pela vitória e também por patrocínio para continuar correndo. Se não conseguir apoio, vou ter de parar”, comenta.


O trabalho feito nos testes coletivos de duas semanas atrás dá motivos ao piloto para apostar numa boa condição de competitividade. “Eu fui o oitavo mais rápido naqueles treinos, fiquei a quatro décimos (de segundo) do primeiro, mas na minha volta rápida fui atrapalhado por um retardatário. Não tenho nenhuma dúvida de que, se tivesse uma volta limpa, seria o primeiro”, frisa. “Carro bom o suficiente para tentar ganhar a corrida eu sei que tenho”.


Após duas temporadas na subdivisão principal da Stock Car, Pachenki voltou à classe de acesso em 2007. Reestreou com vitória na primeira etapa, em Interlagos. Disputou mais três corridas e tentou uma nova incursão pela classe V8, sem o sucesso esperado. “A gente nunca sabe o dia de amanhã, esta pode ser a minha última tentativa de levar a vida como piloto de Stock Car. Preciso me sair bem para poder negociar com patrocinadores”, insiste.


Pachenki é um dos recordistas de vitórias da Stock Car Light. Soma 11, o mesmo total do paulista Carlos Col e do goiano Wellington Justino. “A chance de ser recordista traz um pouco mais de motivação, mas o que vai me empurrar para a frente, mesmo, é a importância do momento para a minha carreira. Em 2004, eu comecei o ano praticamente sem patrocínio, fui conquistando parceiros graças aos bons resultados e terminei como campeão”, relembra.


Em 15 anos de uma carreira iniciada no kart, Pachenki jamais contou com um orçamento para investir tanto quanto necessário. “Sempre corri economizando, desde o kart, acabei me acostumando com isso, mas a coisa chegou a um ponto em que, para continuar, tenho de contar com mais parceiros”, relata o paranaense. “Vai ser um campeonato difícil, a Copa Vicar vem renovada, e para continuar na pista tem que ser por um esquema que valha a pena”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *