Copa Vicar: Pachenki acusa Lapenna por acidente que o impediu de subir ao pódio em São Paulo

Batida na largada obriga paranaense a prova de recuperação em Interlagos. Carreira termina em quarto e comemora título brasileiro.

Um acidente na largada da nona e última etapa, disputada neste domingo (7) no autódromo paulista de Interlagos, tirou de Diogo Pachenki a chance de ir ao pódio no encerramento da temporada 2008 da Copa Vicar. O paranaense da ALM Pachenki Motorsport foi obrigado a empreender uma corrida de recuperação e foi décimo colocado ao final das 20 voltas. Paulo Salustiano venceu a prova e Fábio Carreira, com o quarto lugar, confirmou o título.


Pachenki chegou a Interlagos como vice-líder do campeonato e dependia, para ser campeão pela segunda vez, de uma difícil combinação de resultados, que o obrigava a ganhar a corrida. “Ganhar seria muito difícil, porque eu não tinha um carro tão bem acertado quanto em outras corridas deste ano, mas a minha chance de conseguir um lugar no pódio era boa. Infelizmente, acabei me envolvendo em um acidente na largada”, lamentou o paranaense.


Quinto no grid, Pachenki conta que o incidente segundos depois do início da corrida foi provocado pelo paulista Felipe Lapenna, que largava em sexto. “Não sei o que deu no Lapenna. Ele estava largando por fora e, quando veio a bandeira verde, ele veio com tudo para cima de mim, não tive nem tempo para frear. Ele bateu na lateral do meu carro e acabou ficando atravessado na minha frente, estava completamente perdido. Aí, fui para o fim da fila”, descreveu.


Depois de cair para 20º, Pachenki completou a primeira volta em 16º. Até o final da prova, conseguiu recuperar mais seis posições, recebendo a bandeirada final em décimo. O paulista Salustiano alcançou sua segunda vitória no ano, com o paranaense Lico Kaesemodel em segundo e o também paulista Rafael Daniel na terceira posição. Daniel, com o resultado, assegurou o vice-campeonato. Carreira, vencedor de três corridas, foi campeão com o quarto lugar na prova.


“Eu tinha uma chance bem pequena de ser campeão e tentei o quanto deu, mas fico feliz, sinceramente, por ver o Fábio campeão”, disse Pachenki. “Ele teve um ano muito positivo, as coisas deram certo para ele em vários momentos, enquanto davam errado para mim e para o Salustiano, por exemplo. O trabalho dele e da equipe foi muito eficiente, um trabalho de time que merece ser campeão. Estão de parabéns”, cumprimentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *