GT3 Brasil: Pilotos esperam mais da Ferrari F430 em 2009

Equipe Pósitron/Greco lamenta uma melhor paridade dos carros no Brasil.

Acompanhar e disputar uma categoria que reúne carrões como a Ferrari F430, Porsche 997, Lamborghini Gallardo,Dodge Viper e Ford GT é o desejo de 10 entre 10 pessoas envolvidas com o automobilismo. Ao alinhar um modelo da montadora italiana do cavalinho rampante na temporada 2008 da GT3 Brasil, a equipe Pósitron/Greco realizou esse sonho. “Nossa primeira temporada foi muito legal, dentro do que a gente pôde fazer. Mas se a Ferrari não tivesse sido prejudicada, poderia ter sido bem melhor. Tínhamos tudo para andar na frente”, afirma Antonio Jorge Neto, que durante o ano dividiu o cockpit com Renato Cattalini.


 


O campineiro Antonio Jorge Neto acredita que o principal empecilho que o time enfrentou para ter melhores resultados, foi o desequilíbrio da Ferrari F430 com os demais bólidos da competição em virtude do regulamento técnico. “O maior problema foi que a equalização não aconteceu. A diferença para os demais carros era muito grande”, explica. Ainda assim a equipe teve bons momentos e conseguiu em duas provas (3ª etapa em Interlagos e 5ª etapa em Brasília) ficar entre os cinco primeiros. “A questão do equilíbrio foi muita falada o ano inteiro, por todos que usaram a F430, principalmente quanto à potência do motor. Apenas com o tempo frio, como o que existe na Europa, conseguíamos ser competitivos”, analisa o paranaense Renato Cattalini.


 


Além de uma paridade e adequação mais bem desenvolvida para o clima tropical do Brasil, as quebras atrapalharam bastante. “Tivemos muitos problemas durante o ano, foi frustrante. Não por falta de qualidade dos nossos profissionais, mas o carro é muito sensível às condições climáticas e de nossas exigentes pistas”, conta Cattalini. Sem as falhas mecânicas, a equipe aposta que poderia ter tido melhores resultados. “Espero que a Ferrari resolva esses problemas. O carro evoluiu durante o ano e estava excelente na corrida final. Sem quebras, podemos brigar por mais pódios e entrar forte na disputa do ano que vem”, acredita o experiente Fábio Greco, chefe da escuderia Póstron/Greco.


 


Jorge Neto também faz ressalvas a formatação de algumas duplas, que contavam com dois pilotos profissionais, sem o chamado Gentleman Driver, um dos alicerces da categoria. “As duplas ficaram desequilibradas. Desviou o objetivo do campeonato, de proporcionar a interação entre o Gentleman Driver e o piloto profissional, e isso é ruim”, afirma. No entanto, o competidor vê com bons olhos o futuro da competição. “A GT3 tem um apelo muito grande, tem tudo para explodir. São carros dos sonhos, que todos querem guiar e ver na pista. Com a equalização ideal entre todas as marcas e também de duplas, será uma categoria perfeita”, exclama.


 


Os membros da equipe são unânimes ao apontar o principal fator positivo encontrado durante as 16 etapas da GT3 Brasil. “A convivência entre todos nós era realmente muito boa, contribuiu muito para que o trabalho fosse o melhor possível”, explica Cattalini. E para 2009 a parceria espera render mais frutos. “As quatro partes do time – Jorge Neto, Cattalini, equipe Greco e Pósitron – formaram um casamento legal, apesar de os resultados não terem sido o ideal. Temos uma ótima perspectiva para o ano que vem”, finaliza Greco.


 


Temporada 2009


 


Algumas novidades já foram anunciadas para a temporada do ano que vem. A principal mudança aparece no calendário provisório, que aponta quatro das oito etapas a serem disputadas em São Paulo, no Autódromo de Interlaogos. “Para nós é bom, principalmente em termos de logística e redução de custos, pois a equipe é sediada na capital paulista. Também é interessante para a categoria e para o público, já que a cidade é a maior praça do esporte no país”, explica Greco. Outra inovação é a troca dos atuais pneus franceses Michelin para os compostos da Pirelli, de fabricação nacional. “Nos testes, os novos pneus foram bons para nossa Ferrari. Os pneus traseiros são mais largos, geram mais aderência e resolvem alguns de nossos problemas”, conclui.


 


Este é o calendário provisório da GT3 para a temporada de 2009:


 


26/04 – Autódromo de Interlagos – SP


31/05 – Autódromo de Curitiba – PR


21/06 – Autódromo de Interlagos – SP


26/07 – Autódromo de Londrina – PR


16/08 – Autódromo de Interlagos – SP


20/09 – A definir


11/10 – Autódromo de Santa Cruz do Sul – SP


15/11 – Autódromo de Interlagos – SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *