Copa Vicar: Problema no carburador complica vida de Felipe Lapenna no Rio de Janeiro

Enquanto esteve na pista, piloto teve de ´brigar´ com o carro desde antes da largada. Ainda nas voltas que antecederam o alinhamento no grid, problema na mola que controla o fechamento da borboleta do acelerador impediu o paulista de brigar pelo pódio.

Apesar de obter a quinta posição no grid de largada para a sexta etapa da Copa Vicar Stock Car, o paulista Felipe Lapenna (WebMotors) enfrentou mais uma corrida conturbada na etapa realizada na tarde deste domingo, no Rio de Janeiro. Felipe abandonou a disputa ainda na sétima volta, em virtude de um problema na mola que controla o fechamento da borboleta do carburador, e perdeu a chance de disputar mais um pódio na temporada.

Os problemas enfrentados pelo piloto paulista começaram no momento em que os boxes foram abertos para a formação do grid de largada. Já com dificuldades para acelerar, mas sem tempo hábil para solucionar o problema, ele levou seu carro até o quinto lugar no grid ciente de que teria uma corrida difícil pela frente. E precisou mudar o estilo de pilotagem para não rodar ou bater no traçado carioca.

“Lutei contra o carro por mais de 10 voltas, mas foi aí que o carburador deu a cartada final. A quebra em uma das molas que controla o fechamento da borboleta deixou meu carro acelerado no início. Depois abandonei sem conseguir mandar toda a potência do motor para as rodas. Foi um dia difícil”, reconheceu o paulista.

A vitória na sexta etapa da Copa Vicar Stock Car ficou com o piloto do Rio de Janeiro, Cláudio Caparelli. A próxima etapa do campeonato será no dia 21 de setembro, quando Lapenna terá desafio duplo em Curitiba (PR). Lá ele disputará, no mesmo fim de semana, a sétima prova da Vicar e, também, a sexta da Pickup Racing.

O resultado completo da etapa deste domingo em Jacarepaguá foi o seguinte:
1º) Claudio Capparelli (P3, RJ), 26 voltas em 38:37.063 (média de 134.76 km/h)
2º) Paulo Salustiano (P3, SP), a 2.927
3º) André Nicastro (CA, SP), a 16.972
4º) Beto Giorgi (ML, SP), a 26.730
5º) Julyano Silveira (ML, RN), a 32.923
6º) Wellington Justino (ML, GO), a 34.517
7º) Renato Russo (P3, SP), a 38.096
8º) Afonso Bastos (P3, SC), a 39.473
9º) Fabio Carreira (ML, SP), a 52.668
10º) Leandro Romera (ML, SP), a 53.794
11º) Rodrigo Navarro (CA, SP), a 54.195
12º) Renato Rattes (CA, SP), a 54.539
13º) Cristiano Federico (P3, SP), a 56.323
14º) Cadú Pasetti (CA, SP), a 1:05.616
15º) Lico Kaesemodel (ML, PR), a 1:10.180
16º) Hybernon Cysne (ML, CE), a 1:11.536
17º) Diego Freitas (ML, BA), a 1 volta
18º) Serafin Junior (CA, RJ), a 2 voltas
19º) Anderson Faria (CA, RJ), a 3 voltas
20º) Eduardo Berlanda (P3, SP), a 5 voltas
21º) Diogo Pachenki (ML, PR), a 8 voltas
22º) Rafael Daniel (P3, SP), a 9 voltas
23º) Cassio H de Mello (P3, SP), a 15 voltas
24º) Atila Abreu (CA, SP), a 17 voltas
25º) Jason Oliveira (P3, SP), a 18 voltas
26º) Gustavo Sondermann (P3, SP), a 19 voltas
27º) Felipe Lapenna (P3, SP), a 19 voltas
28º) Daniel Landi (P3, SP), a 21 voltas
29º) Galid Osman (CA, SP), a 24 voltas
30º) Eduardo Leite (CA, SP), a 25 voltas
31º) Marcelo Tomassoni (P3, SP), a 25 voltas

Melhor Volta: Beto Giorgi, 1:25.218

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *