F-Ford Inglesa: Estréia de Victor Corrêa é batizada com neve e muito frio

O piloto mineiro teve seu desempenho prejudicado pelo clima peculiar da Terra da Rainha.

Muito frio e neve. Foi este cenário que o brasileiro Victor Corrêa (Unifenas/Cooparaiso/Flash Power) enfrentou em Oulton Park na segunda-feira (24/3), em sua estréia na Fórmula Ford Inglesa, a mais tradicional categoria-escola do automobilismo mundial. “Estou feliz porque realizei um sonho e vi que tenho um carro competitivo e equipe eficiente, e confirmei meu potencial para brigar na frente. Passado o nervosismo e dificuldades da estréia, agora tudo será um pouco mais tranqüilo”, comentou o representante de Alfenas, sul de Minas Gerais, que largou entre os cinco primeiros nas três provas e teve um quarto lugar como melhor resultado.  


 


Victor Corrêa não teve muita sorte na corrida de abertura da temporada. Com a pista molhada ele caiu da quinta para a sexta colocação na largada. Na segunda volta ele foi fechado pelo inglês Matt Hamilton, e quando tentou retomar o seu posto novamente foi jogado para fora do circuito. No momento em que retornava à prova, outros dois carros se acidentaram e atingiram o Mygale do piloto da Jamun Racing, que foi obrigado a abandonar. A vitória então ficou com Wayne Boyd, atual campeão norte-irlandês da categoria, seguido pelo australiano Tim Blanchard, campeão da Fórmula Ford em seu país. O dinamarquês Marco Sorensen, terceiro colocado no certame de sua terra natal, completou os três primeiros. “Aqui não tem bobo. Todo mundo é experiente e eu estou aprendendo bastante. Já tirei boas lições nesta primeira corrida”, contou o titular da Unifenas/Cooparaiso/Flash Power.


 


Na segunda corrida Victor fez uma boa largada e pulou do quarto para o terceiro posto. O carro se mostrou muito bom e durante toda a prova o brasileiro se manteve no mesmo ritmo dos dois líderes. “Eu senti que poderia tentar inclusive ultrapassar o Blanchard, que estava em segundo lugar”, conta. No entanto, quando estava próximo do final da prova, Victor errou uma chicane e perdeu uma posição. “Eu poderia tentar voltar à terceira posição, mas como abandonei a primeira corrida, resolvi não arriscar. Mas eu percebi que o carro estava bom e eu consegui andar no mesmo nível dos dois primeiros”, explica. O trio Boyd, Blanchard e Sorensen repetiu as mesmas colocações da corrida inaugural.


 


A prova que encerrou a rodada tripla foi marcada pela volta da nevasca que atrapalhou a maioria dos pilotos. Largando em quarto, Corrêa patinou na partida e caiu para sexto. Ainda na volta inicial um piloto rodou à sua frente e, para não bater, Victor jogou o seu carro para fora da pista e retornou apenas na 18ª posição. A partir daí o brasileiro foi o grande nome da corrida, fazendo seguidamente a volta mais rápida e num ritmo impressionante ganhou onze posições em sete voltas. Na última passagem ele foi muito atrapalhado e recebeu a bandeirada em sétimo, lado a lado com o inglês Linton Stuteley, sexto colocado. Aprova foi interrompida por causa da neve que voltou a cair e a vitória foi de Tim Blanchard, seguido por Marco Serensen e pelo escocês David Brown. “Perdi o melhor tempo da corrida na última volta, porque fui muito atrapalhado. Mostrei que também sou rápido e vim pra cá para ganhar corridas. Mesmo que meus resultados não tenham sido excepcionais, apresentei meu cartão de visitas e já estou ganhando respeito”, conclui o atual campeão da Fórmula São Paulo.


 


Victor Corrêa dedica a realização de seu sonho de estréia no automobilismo internacional à memória de Edson Antonio Velano, reitor da Unifenas, que faleceu na madrugada do último sábado (22/03). Victor gostava muito e admirava o reitor, que foi seu primeiro patrocinador e o apóia desde o começo da carreira.


 


Victor Corrêa segue os mesmos passos dos campeões mundiais Émerson Fittipaldi e Ayrton Senna, que começaram a carreira na Europa através da Fórmula Ford Inglesa.


 


A próximas três etapas da categoria acontecem entre os dias 12 e 13 de abril, no circuito de Knockhill.


 


Confira o resultado da prova de abertura do campeonato:


 


1) Wayne Boyd (IRN), Mygale, 5 voltas em 8min39s916


2) Tim Blanchard (AUS), Mygale, a 0s932;


3) Marco Sorensen (DIN), Van Diemen, a 1s571;


4) Matt Hamilton (ING), Mygale, a 9s204;


5) Westley Barber (ING), Comtec, a 9s336;


6) David Brown (ESC), Van Diemen, a 9s380;


7) Chris Maliepaard (HOL), Mygale, a 11s304;


8) Glen Wood (AUS), Spectrum, a 12s652;


9) Linton Stuteley (ING), Mygale, a 13s524s;


10) Gary Findlay (ESC), Mygale, a 14s418;


 


Veja como foi a 2ª etapa da Fórmula Ford:


 


1) Wayne Boyd (IRN), Mygale, 11 voltas em 18min39s777


2) Tim Blanchard (AUS), Mygale, a 4s233;


3) Marco Sorensen (DIN), Van Diemen, a 5s782;


4) Victor Corrêa (BRASIL), Mygale, a 5s978;


5) Matt Hamilton (ING), Mygale, a 9s492;


6) Linton Stuteley (ING), Mygale, a 12s261s;


7) Chris Maliepaard (HOL), Mygale, a 16s194;


8) David Brown (ESC), Van Diemen, a 16s924;


9) Glen Wood (AUS), Spectrum, a 18s688;


10) Adrian Campfield (ING), Spectrum, a 22s213;


 


Assim ficou a terceira etapa do certame:


 


1) Tim Blanchard (AUS), Mygale, 9 voltas em 19min24s557;


2) Marco Sorensen (DIN), Van Diemen, a 0s293;


3) David Brown (ESC), Van Diemen, a 1s170;


4) Adrian Campfield (ING), Spectrum, a 4s439;


5) Westley Barber (ING), Comtec, a 4s949;


6) Linton Stuteley (ING), Mygale, a 5s491s;


7) Victor Corrêa (BRASIL), Mygale, a 5s557;


8) James Cole (ING), Mygale, a 6s033;


9) Wayne Boyd (IRN), Mygale, 8s737;


10) Chris Maliepaard (HOL), Mygale, a 16s307.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *