F1: ‘Ainda posso conseguir’, diz Hamilton sobre temporada de F1

Lewis Hamilton declarou ter ficado ‘arrasado’ pela maneira como saiu do Grande Prêmio da China neste domingo, mas garantiu estar confiante de que será campeão ao final da temporada.

 


O novato de 22 anos precisava vencer ou terminar à frente do companheiro de equipe Fernando Alonso e de Kimi Raikkonen neste final de semana para conquistar o título, mas sua corrida terminou quando ele deslizou na entrada dos boxes e parou na caixa de brita.


Raikkonen, da Ferrari, venceu a prova adiante do defensor do título Alonso e diminuiu a vantagem do britânico para quatro pontos, deixando a disputa entre os três pilotos para o Grande Prêmio do Brasil em 21 de outubro.


“Obviamente estava arrasado quando saí do carro, já que não havia cometido nenhum erro o ano inteiro, e cometê-lo a caminho dos boxes não é algo que costumo fazer”, disse Hamilton.


“Mas não dá para passar pela vida sem cometer erros. Já superei. Sei que a equipe está trabalhando muito duro para garantir a nossa recuperação no Brasil.”


“Lamento pela equipe, eles fizeram um trabalho fantástico, como sempre. Mas não se preocupem, ainda falta uma corrida no Brasil, ainda posso conseguir.”


“PERFECCIONISTA”


O executivo-chefe da McLaren, Martin Whitmarsh, admitiu que os pneus traseiros de Hamilton haviam ultrapassado sua “vida útil” quando o piloto se encaminhava para o boxes na pista oleosa.


“Deveríamos tê-lo chamado uma volta antes, assim provavelmente teríamos dado conta do trabalho”, disse. “Mas foi uma longa corrida e fizemos essas escolhas, às vezes elas acertam na mosca, outras vezes não.”


Whitmarsh disse que Hamilton inevitavelmente se culparia pela maneira como sua corrida terminou, mas que a equipe também se sentiu algo responsável.


“Lewis queria vencer esta corrida com estilo e estava claramente forçando um pouco mais os pneus que alguns dos outros pilotos”, afirmou.


“Ele é tão profissional e tão perfeccionista, claro que vai se culpar, mas ele é parte da equipe”, acrescentou.


“Vencemos juntos e às vezes erramos juntos. Vamos ao Brasil para uma final realmente emocionante, ele vai estar determinado a vencer no Brasil.”



Por Nick Mulvenney (Reuters)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *