F1: Alonso diz que jamais esquecerá punição de Monza

O atual campeão da Fórmula 1, Fernando Alonso, não se importa com o fato de os fãs gostarem ou não dele, desde que continue vencendo corridas.

O piloto da Renault esnobou os resultados de uma pesquisa divulgada esta semana pela Federação Internacional de Automobilismo, que mostrou que a popularidade do alemão Michael Schumacher, da Ferrari, é quatro vezes maior que a dele.


“Não quero ser popular. Só quero pilotar e ganhar”, disse o espanhol a repórteres antes do Grande Prêmio da China, nesta quinta-feira.


O espanhol de 25 anos está apenas dois pontos à frente de Schumacher, que tenta conquistar o oitavo título de sua carreira em sua última temporada. Faltam três corridas para o final do campeonato.


Mas se manifestou indiferença quanto à sua popularidade, Alonso demonstrou estar ainda bastante perturbado com a penalidade imposta sobre ele na Itália, há três semanas, que despertou acusações de que o campeonato estaria sendo manipulado para prejudicá-lo.


Ele deixou claro que jamais esquecerá nem perdoará o que aconteceu em Monza.


Relegado ao décimo posto no grid de largada, depois de ter conquistado a quinta posição nas pistas, sob a alegação de que havia atrapalhado a tomada de tempo do brasileiro Felipe Massa, Alonso chegou a dizer antes da prova que já não considerava a Fórmula 1 um esporte. Em Xangai, a opinião continua a mesma.


“Quando eu falo alguma coisa é porque acho aquilo, não porque estou irritado. Acredito naquilo, muita gente acredita naquilo, mas ninguém diz.”


“A Fórmula 1 é meu trabalho, minha vida, e adoro pilotar o carro. Mas ainda acho a mesma coisa. Nas outras categorias há esporte, mas aqui há um pouco de tudo”, acrescentou ele.


“É um grande show, para todo mundo. Muita cobertura da TV, muito dinheiro envolvido, direitos da TV e patrocinadores e tudo o mais, e o piloto faz parte do show.”


Com um novo visual, de bigode, Alonso disse, no entanto, que não vai deixar que o episódio atrapalhe sua luta pelo título. “Vou tirar isso da cabeça para esta corrida e para o resto do campeonato”, disse ele a repórteres.


“Mas não vou tirar da minha cabeça para a minha carreira ou para a minha vida. Tenho lembranças de algumas coisas que aconteceram no kart, em corridas que fiz há 20 anos, e o que aconteceu em Monza nunca vai se apagar.”


“Há coisas que nunca se esquece, mas quando você vai para o próximo GP … há muita coisa acontecendo para ficar lembrando da última corrida. Quando você pilota, você esquece tudo.”


Fonte: Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *