F1: Associações denunciam tabaco na Fórmula 1

O Comitê Nacional para Prevenção do Tabagismo (CNPT) e a Associação de Usuários da Comunicação denunciaram a Fórmula 1 por publicidade encoberta de marcas de tabaco. A União Europeia proíbe desde 2003 a associação do esporte com empresas desse segmento.

Em nota oficial, o CNPT acusou a Fórmula 1 de tentar burlar esse veto. Segundo o comitê, a Ferrari recebe US$ 100 milhões anuais da Phillip Morris. Nos países que não fazem parte da União Europeia ou não têm regulação de publicidade tabagista, a escuderia faz divulgação ostensiva da marca Marlboro. Em outras regiões, o aporte é simbolizado apenas por um código de barras nos carros vermelhos. 
O caso da Ferrari é apenas um exemplo que reforça a tese do CNPT. A nota oficial emitida nesta semana é apenas um apelo para que esse tipo de associação seja abandonado, mas o comitê estuda alternativas legais de interpelar nos tribunais a principal categoria do automobilismo mundial. 
“A associação é encoberta, mas bastante explícita. A proibição inclui qualquer comunicação comercial ou contribuição a eventos cujo objetivo direto ou indireto seja a promoção do produto tabaco”, lembra a nota oficial.
Fonte: Máquina do Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *