F1: Berger explica venda ‘Toro Rosso perderia terreno’

Gerhard Berger garante que a falta de perspectivas à frente da Toro Rosso o fez vender sua parte na equipe de volta a Dietrich Mateschitz, dono da Red Bull. Segundo o ex-piloto austríaco, um time pequeno como o italiano não poderia sobreviver e ter resultados tão bons quanto os de 2008 a partir das novas regras que estão sendo inseridas na Fórmula 1.

Embora as alterações no regulamento da Fórmula 1, do qual passarão a fazer parte em 2009 o KERS (Sistema de Recuperação de Energia Cinética) e os pneus slick, além da exigência de diminuir a downforce (força de aderência) e de fazer com que o motor dure por três corridas, tenham como principal objetivo reduzir os custos da categoria, Berger acredita que isso impediria a Toro Rosso de manter seu nível atual de evolução. Nesse contexto, não teve dúvidas em vender amigavelmente as ações (50% do total) que detinha.


“As novas regras não deixarão espaço para melhorias para uma equipe pequena como a nossa”, afirmou Berger à publicação britânica Autosport.


“E também há o interesse de Dietrich de focar seus esforços na Red Bull Racing, portanto o apoio da STR se tornará cada vez menor, não deixando que o time vá além do sexto lugar”, emendou, em referência ao posicionamento atingido no Mundial de Construtores recém-encerrado.


Assim, o antigo piloto de Ferrari e McLaren garante que não houve problemas no relacionamento com Mateschitz, que havia fundado a Toro Rosso em 2006 após comprar a Minardi, cedendo o controle parcial do novo time ao seu conterrâneo.


“Eu estarei fora da STR, mas minha saída foi completamente amigável e não há brigas”, disse Berger, negando ainda que a falta de definição quanto aos pilotos tenha influenciado em sua decisão: “não tem nada a ver com isso”, disse.


Segundo a Autosport, o rompimento da parceria entre os austríacos fortalece os nomes de Sébastien Buemi e Takuma Sato como pretendentes à vaga na escuderia italiana para o ano que vem.


Isso acontece porque o suíço é oriundo do programa de iniciação de pilotos da Red Bull, enquanto o japonês seria vital para o interesse da marca em ganhar terreno no mercado do Japão. A se confirmar a informação, o francês Sébastien Bourdais limitaria sua passagem pela Fórmula 1 a apenas um ano.


Fonte: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *