F1: Button condena ordens de equipe e pode deixar a F-1 se ocorrer com ele

Atual campeão mundial de Fórmula 1, o piloto inglês Jenson Button, da equipe McLaren, declarou nesta sexta-feira o seu repúdio às ordens de equipe e disse que pode abandonar a categoria se não puder haver mais a disputa em igualdade entre os pilotos.

Button, que no ano passado correu na equipe Brawn GP ao lado do brasileiro Rubens Barrichello, afirmou que não quer correr por qualquer equipe que tiver tratamento diferenciado para o piloto número um e o piloto número dois.

“Eu não me interessaria em correr na Fórmula 1 se, a partir da primeira corrida, houvesse a possibilidade de você ser o número um ou o número dois. Qual é a graça”, questionou o piloto inglês que ostenta em seu carro o número 1.

Jenson Button criticou a decisão da Ferrari, que no Grande Prêmio da Alemanha, no último fim de semana, quando a equipe ordenou ao brasileiro Felipe Massa que deixasse o espanhol Fernando Alonso lhe ultrapassar para vencer a corrida.

“Você está aqui para ganhar, está aqui para ser o melhor. E você precisa ter essa chance em igualdade com o outro cara, que compete com você no mesmo carro. A Fórmula 1 é um esporte de equipes, mas quando cruza a linha de chegada, é você que ganha o campeonato de pilotos. Para mim, se fosse colocado em segundo plano o individual, eu não me interessaria mais em correr”, afirmou Button.

Button disse que trocou a Brawn GP (atual Mercedes) pela McLaren no final do ano passado porque quis um novo desafio individual que seria enfrentar Lewis Hamilton, campeão de 2008. Ele afirma não querer nenhuma preferência sobre o seu companheiro de equipe.

“Se eu por acaso percebesse que ele não tem o mesmo equipamento que eu, ou que eu estivesse sendo favorecido, não ficaria feliz porque eu acho que estaríamos sendo enganados”, afirmou Button.

“Eu me lembro de Rubens [Barrichello] no ano passado, ficando muito chateado em um ponto na temporada, mas ele percebeu que não era a situação. Algumas corridas não deram certo para ele, não porque houve favorecimento a mim por causa de diferentes estratégias. Foi pura sorte. Não foi nada a ver com ordens de equipe”, completou o inglês sobre uma ocasião em que Barrichello insinuou que o inglês estaria sendo favorecido.

Fonte: UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *