F1: Campos se antecipa à USF1 e pode ter sexta mulher da história

Desde que anunciou, em fevereiro passado, o seu projeto para ingressar na Fórmula 1, a USF1 especulou que poderia levar uma mulher de volta ao cockpit da categoria. Porém, com Danika Patrick cada vez mais longe de um acordo com a equipe norte-americana, quem pode encerrar o ‘jejum’ feminino na elite do automobilismo é a Campos GP, que admite conversas com a suíça Natacha Gachnang.

De forma curiosa, Gachnang é prima de um piloto que já integra o circo, o novato Sebastian Buemi, da Toro Rosso. Em 2008, ela foi a terceira colocada da Fórmula 3 Espanhola justamente a bordo de um carro da Campos, uma das novas integrantes da Fórmula 1 a partir da próxima temporada, e agora disputa a recém-criada Fórmula 2 da FIA (Federação Internacional de Automobilismo).

Por causa de seu bom relacionamento com Adrian Campos, chefe da equipe espanhola, a suíça de 21 anos deve realizar um teste nos próximos meses, segundo revelou ao jornal Marca. “Estive falando com Adrian sobre testar. É uma possibilidade. Ele crê em mim como piloto depois do tempo que passamos juntos no Campeonato da Espanha de F-3”.

Se confirmado o interesse, Gachnang deve-se juntar à lista de concorrentes de Giorgio Pantano e Lucas di Grassi, que também têm história com a Campos (na GP2). Nesta quarta-feira, o brasileiro inclusive admitiu à GazetaEsportiva.Net já ter conversado com o diretor do time que estreará na Fórmula 1.

Já na hipótese de ser contratada, a prima de Buemi encerraria um período de 18 anos sem uma mulher como piloto da categoria. No total, cinco representantes do sexo feminino já guiaram carros desde 1950, sendo a última a italiana Giovanna Amati, pela Brabham. “Seria algo histórico para mim ser a próxima mulher. Muita gente me disse que isso é impossível, porém quero provar que estão equivocados”, apontou a jovem.

Enquanto a Campos pode contratar Natacha Gachnang, Danika Patrick se afasta da USF1. Ao contrário do especulado anteriormente, os norte-americanos não devem levá-la à Fórmula 1, visto que a piloto de 27 anos parece preferir uma transferência para a Nascar após o encerramento de seu contrato na IndyCarSeries, no fim desta temporada. “Ali há um montão de opções. Correr em ovais sempre é divertido”, apontou a musa.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *