F1: ‘Era impossível guiar naquelas condições’, diz Nelsinho Piquet

Chuva interrompe GP da Malásia e brasileiro termina na 13ª colocação.

O piloto brasileiro Nelsinho Piquet terminou na 13ª posição o GP da Malásia de Fórmula 1. A prova foi interrompida na 32ª volta, das 56 previstas, em função da chuva torrencial que caiu sobre o circuito de Sepang. “Era absolutamente impossível guiar naquelas condições. A bandeira vermelha foi uma decisão acertada”, apoiou Nelsinho Piquet. A  direção de prova aguardou por cerca de uma hora, mas não havia mais luz natural que possibilitasse o reinício da corrida.
 
Antes da bandeira vermelha, o que se viu no circuito de Sepang foi um verdadeiro festival de pit stops, com as equipes alternando suas apostas entre os pneus intermediários e os pneus para chuva extrema. “A gente tentou acertar na escolha, mas a chuva demorou a apertar e tanto eu, quanto o Fernando (Alonso) ficamos seis, sete voltas com os pneus para chuva extrema, quando o ideal seria usar os intermediários”, explicou Nelsinho. “Depois, quando  trocamos para os intermediários, passou uma volta e começou a chover forte, então tivemos que voltar para os boxes outra vez”, detalhou. Nelsinho fez uma boa largada e fazia uma corrida de recuperação, mas viu suas chances de brigar por um lugar na zona de pontuação ficarem comprometidas após os pit-stops. Fernando Alonso, companheiro de Nelsinho na ING Renault, também teve que fazer três paradas nos boxes, terminando a prova na 11ª colocação.
 
O inglês Jenson Button, da Brawn GP, conquistou sua segunda vitória consecutiva, seguido dos alemães Nick Heidfeld (BMW) e Timo Glock (Toyota). A Fórmula 1 volta a acelerar daqui a duas semanas, com a disputa do GP da China.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *