F1: Ex-chefe de Senna morre de ataque cardíaco

Peter Warr foi responsável pela ida do brasileiro à Lotus

Aos 72 anos, Peter Warr, ex-chefe da Lotus de Ayrton Senna, morreu nesta segundo-feira vítima de um acidente cardíaco. O inglês, que também teve passagem pela Wolf e Fittipaldi, foi um dos principais responsáveis pela contratação do tricampeão mundial.

Warr era ex-militar da Grã-Bretanha, quando decidiu ingressar na carreira do automobilismo. Começou na Lotus em 1958, aos 20 anos, e disputou a Fórmula Júnior. Mas sua principal contribuição para o esporte veio quando foi convidado pelo fundador da Lotus, Colin Chapman para se tornar dirigente, em 1969.

Além de Senna, o inglês comandou outros dois brasileiros. Em 1972, levou Emerson Fittipaldi à conquista do título mundial, quando o brasileiro disputava apenas seu segundo ano na principal categoria do automobilismo e em 1987, depois de Senna ir para a McLaren, contratou Nelson Piquet.

Bernie Ecclestone, detentor dos direitos comerciais da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) lamentou a perda do amigo.

– Perdi um bom amigo, que foi chefe da Lotus quando Colin Chapman saiu. Mas Peter Warr, que morreu ontem de ataque cardíaco, vai deixar saudade em milhares de pessoas que conhecia ele. Ele me ajudou a tornar a Fórmula 1 o que ela é hoje. Obrigado Peter – disse em um comunicado emitido pelo site oficial da categoria.

Fonte: LANCEPRESS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *