F1: F1: Jenson Button vence na Austrália. Felipe Massa é o 3º

O inglês Jenson Button (McLaren) venceu neste domingo (28/03), o GP da Austrália, em Melbourne, 2ª etapa da temporada. O polonês Robert Kubica (Renault) e o brasileiro Felipe Massa (Ferrari) completaram o pódio.

Devido à chuva que atingiu a pista pouco antes da largada todos os pilotos alinharam com pneus intermediários. Na largada o pole-position, o alemão Sebastian Vettel (Red Bull) manteve a ponta, seguido por Massa, que fez uma grande largada saindo da quinta posição, o australiano Mark Webber (Red Bull) e Kubica, que aproveitou a confusão a sua frente na primeira curva para ganhar cinco posições. O espanhol Fernando Alonso (Ferrari) e Button se tocaram, com a Ferrari rodando e acertando o alemão Michael Schumacher (Mercedes).  Para evitar a confusão o inglês Lewis Hamilton (McLaren) deu uma passeada na grama. Schumacher teve a asa dianteira quebrada, tendo que ir aos boxes colocar uma nova peça. 

Antes do final da primeira volta, na curva seis, o japonês Kamui Kobayashi (BMW Sauber), que já havia perdido a asa dianteira em um toque, acertou o muro antes de cruzar a pista e coletar o suíço Sebastian Buemi (Toro Rosso) e o alemão Nico Hulkenberg (Williams). Com pedaços dos três carros espalhados pela pista o Safety-Car foi acionado. 

Na 5ª volta a bandeira verde foi agitada, com Webber ultrapassando Massa na curva seis, para deixar os dois carros da Red Bull na liderança da prova. Massa passou a se defender dos ataques de Kubica e do alemão Nico Rosberg (Mercedes).  O brasileiro Bruno Senna (Hispania), que completou a primeira volta na 14ª posição, abandonou logo após a saída do Safety-Car, com problemas hidráulicos. 

Após ser ultrapassado pelo parceiro de equipe, caindo para a 7ª posição Button decidiu entrar nos boxes na 7ª volta, trocando os pneus intermediários pelos slick. A aposta do inglês pareceu a errada assim que ele retornou a pista, ao dar um passeio na grama na curva três. 

Praticamente todos os demais pilotos seguiram o exemplo de Button na volta seguinte, trocando os pneus para os slicks. A dupla da Red Bull permaneceu mais um tempo na pista, com Vettel fazendo a sua troca na 9ª volta e Webber na 10ª passagem. Nessa mesma volta o russo Vitaly Petrov (Renault), rodou, abandonando na brita. Duas voltas mais tarde o alemão Adrian Sutil (Force India), que havia largado em 10º lugar, também abandonou.

Vettel manteve a liderança, seguido por Button, que acertou na estratégia, Kubica, Rosberg, Massa e Webber. Na 15ª volta o australiano partiu para cima de Massa conseguindo a ultrapassagem na primeira curva, com Hamilton aproveitando a chance e também superando o carro da Ferrari indo atrás de Webber. Contudo duas voltas depois os dois se tocaram, com Webber dando uma escapada na grama e Massa ultrapassando Hamilton, para recuperar a 5ª posição. Webber voltou à prova lutando por posição com Alonso. 

Seis voltas depois Hamilton passou Massa na curva um, com Alonso, que havia ultrapassado Webber, logo atrás também tentando ultrapassar o brasileiro.  O espanhol, contudo deu uma balançada em uma parte da pista ainda molhada, sendo superado por Webber. 

Hamilton colou na traseira do Mercedes de Rosberg, conseguindo a ultrapassagem na 26ª volta, em uma manobrar por fora na curva onze. Enquanto isso o brasileiro Lucas di Grassi (Virgin) após largar dos boxes junto com o parceiro de equipe, o alemão Timo Glock, abandonava com um vazamento hidráulico.

Duas voltas depois Rosberg recuperou a posição, porém teve que devolver o quarto lugar, devido às bandeiras amarelas agitadas momentos antes, após o líder da prova Vettel sair reto na curva, parando na brita. Já nos boxes, o alemão disse que teve problemas nos freios do carro. 

Button era o novo líder, com seis segundos de vantagem sobre Kubica. Hamilton vinha em 3º, seguido por Rosberg e Webber, que havia ultrapassado Massa. As duas Ferraris vinham a seguir.

Com metade da prova disputada, com a pista já totalmente seca, vários pilotos começaram a sofrer com o desgaste dos pneus, optando por um novo pit stop. Entre os líderes Webber entrou na 31ª volta, Rosberg na 34º e Hamilton uma depois. Button, Kubica, Massa e Alonso permaneceram na pista. Na 41ª volta Glock foi o último a deixar a prova. 

Com pneus novos Hamilton, Webber e Rosberg, que tinham mais de trinta segundos de atraso para o líder, passaram a andar de um a dois segundos mais rápidos. 

Com Button disparado na frente a disputa pelo segundo lugar nas voltas finais, entre Kubica, Massa, Alonso, Hamilton e Webber, separados por milésimos de segundo era intensa. 

Faltando duas voltas para o final Hamilton tentou ultrapassar Alonso, que manteve o inglês na parte de fora, defendendo a posição. Webber acabou acertando a traseira da McLaren que rodou, dando uma passeada fora da pista, retornando na 6ª posição. Com a asa dianteira quebrada Webber teve que ir aos boxes, voltando em 9º lugar. 

Button venceu pela primeira vez pela McLaren, com doze segundos de vantagem sobre Kubica. Massa foi o 3º, seguido por Alonso, Rosberg e Hamilton. O italiano Vitantonio Liuzzi (Force India) terminou em 7º, seguido pelo brasileiro Rubens Barrichello (Williams), que fez uma prova consistente marcando pontos pela segunda vez consecutiva. Webber foi o 9º, com Schumacher fechando a zona de pontos.

Schumacher teve uma prova difícil após o incidente na volta inicial. O heptacampeão manteve um duelo com novato espanhol Jaime Alguersuari (Toro Rosso) durante praticamente toda a prova, só conseguindo a ultrapassagem definitiva nas voltas finais. Com a queda de rendimento do espanhol Pedro de la Rosa (BMW Sauber), na parte final, o alemão salvou um ponto na tabela. 

Entre as novas equipes apenas dois carros chegaram ao final. O finlandês Heikki Kovalainen (Lotus), em 13º e o indiano Karun Chandhok (Hispania), na 14ª posição. 

Alonso lidera o campeonato com 37 pontos, quatro a mais do que Massa. Button é o 3º com 31. Barrichello soma cinco, na 11ª posição. 

A próxima etapa acontece no dia 04 de abril em Sepang, Malásia.

Final:

1: Jenson Button (ING/McLaren) -58 voltas em 1h33min36s531
2: Robert Kubica (POL/Renault) – a 12s034
3: Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 14s488
4: Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 16s304
5: Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 16s683
6: Lewis Hamilton (ING/McLaren) – a 29s898
7: Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India) – a 59s847
8: Rubens Barrichello (BRA/Williams) – a 1min00s536
9: Mark Webber (AUS/Red Bull) – a 1min07s319
10: Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – a 1min09s391
11: Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso) – a 1min11s301
12: Pedro De La Rosa (ESP/Sauber) – a 1min14s084
13: Heikki Kovalainen (FIN/Lotus) – a 2 voltas
14: Karun Chandhok (IND/Hispania) – a 4 voltas

Não completaram
Timo Glock (ALE/Virgin) – 41 voltas
Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) – 26 voltas
Lucas Di Grassi (BRA/Virgin) – 25 voltas
Adrian Sutil (ALE/Force India) – 12 voltas
Vitaly Petrov (RUS/Renault) – 10 voltas
Bruno Senna (BRA/Hispania) – 5 voltas
Sebastian Buemi (SUI/Toro Rosso) – 1 volta
Nico Hulkenberg (ALE/Williams) – 1 volta
Kamui Kobayashi (JAP/Sauber) – 1 volta
Jarno Trulli (ITA/Lotus) – 0 volta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *