F1: FIA aceita conversar com times, mas exige inscrições

Em resposta à carta divulgada pela Fota (Associação das Equipes de Fórmula 1) através da agência Reuters, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou que está disposta a conversar com as equipes.

Porém, a entidade dirigida por Max Mosley negou-se a atender ao pedido dos times de prorrogar para 1º de julho o limite no qual McLaren, Brawn GP, Toyota, Renault e BMW Sauber precisam confirmar suas inscrições na temporada 2010.

Desta forma, os times têm até a próxima sexta-feira para dizer se vão ou não alinhar seus carros no grid da categoria a partir do próximo ano. “Se começarmos a mudar os meios de controle do Pacto de Concórdia de 1998, uma longa discussão terá início e não há tempo hábil para isso, pois precisamos responder às inscrições remanescentes para 2010 até o dia 19”, afirma a FIA.

A entidade então propõe que todos assinem o acordo e possíveis alterações sejam discutidas nos próximos meses. “Queremos que todas as partes concordem em aceitar o modelo de 1998 através de uma troca de cartas. Depois, podemos negociar um novo Pacto de Concórdia de 2009, com a proteção do documento de 1998. Vivemos sob essas condições durante dez anos, de maneira que umas semanas ou meses a mais não vão fazer diferença”, destaca.

Sobre o valor de R$ 128 milhões como limite orçamentário para 2010, a FIA deixou claro que pretende mantê-lo, mas, por outro lado, não descartou a possibilidade de aumentar as cifras: “Nossa proposta é que as equipes aceitem as regras para 2010, conforme publicadas, que definimos com vocês no ano passado. Se for necessário, as revisaremos de acordo com os procedimentos de controle em vigor”.

A Federação também negou que haverá um regulamento duplo no próximo ano, com limitações para quem superar o teto orçamentário, mas avisou que a Cosworth, fornecedora de motores padronizados, terá “privilégios” e poderá usar o regulamento de 2006, já que não haveria tempo para a empresa promover mudanças.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *