F1: “Foram os treinos mais quentes da minha vida”, diz Di Grassi

Sexta-feira de treinos livres para o GP da Malásia correu sem problemas para Di Grassi. Chuva, no entanto, é esperada para sábado e domingo.

35 graus de temperatura ambiente. 52 de temperatura no asfalto. Junte-se a isso os 58% de umidade relativa do ar e uma sensação térmica que é difícil para uma pessoa comum suportar. Ainda mais guiando um carro que exige grande esforço físico e forças gravitacionais de até 4G “empurrando” ou “puxando” o piloto dentro do carro, durante quase três horas nas freadas e acelerações.

“Bem vindo ao meu mundo”, é o que diz Lucas Di Grassi (Clear, Sorocred, Locaweb, Eurobike, Schippa), que disputa neste fim de semana o terceiro Grande Prêmio de sua carreira na Fórmula 1, além dos outros 23 pilotos que percorrem os 5.541 metros do autódromo localizado próximo da cidade de Kuala Lumpur, capital da Malásia.

“Em toda minha carreira, foi o treino mais quente que já fiz na vida”, destacou o estreante brasileiro, que está no circuito de Sepang para a disputa do GP da Malásia, terceira etapa do Mundial de F1. O piloto da Virgin marcou o 21º tempo na sessão matutina – com 1min40s159 – e o 22º no treino da tarde – com 1min39s158. O mais rápido, em ambas as sessões, foi Lewis Hamilton, da McLaren.

E nenhum problema de confiabilidade apareceu, o que confirma a evolução da Virgin mesmo no forte calor que faz naquele país. Lucas completou 54 voltas (25 pela manhã e 29 à tarde) e tanto ele como seu companheiro de equipe, o alemão Timo Glock, puderam cumprir todo o programa traçado pela Virgin para a sexta-feira. “Pelo que andamos hoje, eu estou bem satisfeito com os tempos que fizemos, principalmente com a confiabilidade. Tivemos praticamente zero de problemas, tanto os meus tempos de volta como as do meu companheiro foram bem parecidos. Estou confiante de que as coisas vão melhorar”, afirmou.

Apesar do calor que fez durante a sexta-feira, espessas nuvens cercaram o circuito que fica próximo da cidade de Kuala Lumpur, e a previsão para o treino classificatório de amanhã, bem como para a corrida no domingo, é de chuvas fortes. “É uma tendência bem alta e estamos trabalhando com esta possibilidade de chuva, também”, ressaltou o brasileiro.

Di Grassi ressaltou que o VR-01 segue andando com uma carga maior de combustível no tanque por causa de um problema com o pescador de gasolina. “E pelo peso que carregamos, os nossos tempos nos deixaram confiantes”, completou.

“Foi um dia muito bom para nós, sem que os problemas aparecessem. O carro está bom e há bastante performance para vir, mas estamos muito felizes porque foi a nossa melhor sexta-feira até agora. E isso quer dizer que estamos evoluindo em termos de desenvolvimento do carro”, concluiu.

O treino classificatório que definirá o grid para o GP da Malásia acontece às 5 horas (de Brasília), com transmissão ao vivo pela TV Globo. A corrida, no domingo (4), acontece no mesmo horário.

Confira a programação para o GP da Malásia de Fórmula 1 (horário de Brasília):

SÁBADO (03/04):
02h00 – 3º treino livre
05h00 – Treino Classificatório

DOMINGO (04/04):
05h00 – Largada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *