F1: Funcionário da Force India deixa o Bahrein após ataque na saída do circuito

Um funcionário da Force India decidiu deixar o Bahrein depois que um carro com quatro mecânicos da equipe ficou no meio de um confronto entre polícia e manifestantes na saída do circuito de Sakhir, palco do GP de Fórmula 1 no próximo domingo.

No caminho de volta para o hotel na noite de quarta-feira, o carro ficou no meio do protesto e foi forçado a parar na estrada. Um coquetel Molotov quase atingiu o veículo, e um pouco de gás lacrimogêneo atirado pela polícia entrou no carro. Ninguém ficou ferido.
Os quatro mecânicos conseguiram chegar no hotel e permanecerão no Bahrein para o GP. Mas outro funcionário da equipe ficou assustado e pediu para voltar para casa. Segundo a revista Autosport, outro integrante de um fornecedor técnico da Force India também expressou desejo de ir embora.
Diretor do circuito de Sakhir, Zayed al Zayani minimizou o incidente e disse que não haverá reforço à segurança: “Foi um incidente isolado, e minha mulher passou por lá também. Os manifestantes não estavam mirando os carros, aconteceu de eles estarem lá”.
“Eu não comando a polícia, eles é que sabem o que é melhor fazer. Tenho uma corrida para tocar”, completou o diretor do circuito, que havia assegurado a segurança da corrida argumentando que “aqui não é Afeganistão nem Síria”
“Acho que é lamentável. Foi uma questão de timing. Poderia realmente ter acontecido em qualquer lugar do mundo, ser pego em um motim ou briga ou qualquer coisa”, completou o diretor do circuito.
Piloto da equipe Force India, o alemão Nico Hulkenberg criticou o fato de ter que se preocupar com a segurança: “Se é certo ou errado eu não sei, não sou político, sou um piloto de Fórmula 1. Mas isto não deveria estar acontecendo, deveria? Não é bom ter que se preocupar com isso, mas vamos torcer para que o resto do fim de semana seja tranquilo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *