F1: Hamilton se exclui da briga por pontos em Melbourne

Com as dicas de um profissional, Hamilton superou Kovalainen em desafio de críquete.

De campeão mundial no fim de 2008 a candidato somente às posições intermediárias no começo de 2009. Essa é a situação que Lewis Hamilton não nega viver às vésperas do Grande Prêmio da Austrália. Confirmando que suas expectativas para a abertura da nova temporada da Fórmula 1 são baixas, o inglês reconheceu que apenas em uma visão muito otimista poderia fechar o fim de semana com pontos.

“Acho que, se pensarmos de forma otimista, então podemos conseguir um ponto, mas não acredito nisso”, disse o piloto da McLaren. “Temos de nos manter positivos, tudo pode acontecer e assim poderíamos pontuar – no ano passado apenas sete carros terminaram a corrida -, mas em termos de ritmo neste momento não somos velozes o suficiente”.

Assim, Hamilton se saiu com declarações contrárias às de Heikki Kovalainen, que no dia anterior, mesmo admitindo que não brigaria pela vitória na Austrália, apostava em uma evolução bastante rápida. Isso acontece porque o finlandês conseguiu melhorar o rendimento do MP4-24 nos treinos coletivos de Jerez de la Frontera, há duas semanas, depois de ser o último colocado nos trabalhos de Barcelona.

“Heikki conseguiu alguma evolução nos últimos dois dias de testes, e eu não pilotei o carro desde então. Portanto, com algumas peças novas no carro talvez sejamos um pouco mais rápidos do que eu avalio”, apontou Hamilton.

Em um certo ponto de vista, contudo, o britânico concorda com o companheiro da equipe, dizendo que o caminho a ser percorrido pela McLaren até o topo é ‘longo’, mas possível de ser construído. “Esses problemas estão afetando todos nós, encaramos isso de um modo pessoal. O fato é que somos um time forte. Tivemos muitos altos e baixos nas últimas duas temporadas, mas não há nada que não possamos consertar e não há nada que não possamos conquistar”.

Desafio de críquete: Além de falar sobre o Grande Prêmio da Austrália, Hamilton ainda aproveitou esta quinta-feira para participar de um evento promocional no qual jogou críquete com o australiano Shane Warne, reconhecido como um dos maiores lançadores na história desse esporte, e Kovalainen.

Após se sair bem no desafio, o atual campeão da Fórmula 1 detonou o rendimento de seu companheiro de McLaren. “Até hoje de manhã, ele nem sabia como era um taco de críquete”, brincou.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *