F1: Hamilton terá que dar explicações sobre punição na Austrália

A despeito da Toyota ter desistido de contestar a punição aplicada a Jarno Trulli no GP da Austrália, o terceiro lugar de Lewis Hamilton na disputa ainda não está garantido. De acordo com a publicação inglesa Autosport e alemã Auto Motor und Sport, o caso será reaberto pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

Na 57a passagem da corrida, Jarno errou e foi parar na grama, sendo superado pelo inglês, que não tinha outra alternativa. Na sequência, porém, retomou a posição. Como ultrapassagens com safety car na pista são proibidas, o italiano Trulli teve 25 segundos acrescidos ao seu tempo final por ter ultrapassado Hamilton

O problema é que Lewis pode ter omitido algumas informações dos comissários de prova. Isso porque ele mesmo admitiu, em entrevista ao SpeedTv ainda no domingo, que recebeu ordens da McLaren para deixar o rival ultrapassá-lo, o que acabou acontecendo. “Mas, para ser sincero, não sei se isso é legal. Se não for, eu tenho que ser o terceiro mesmo”, argumentou.

Trulli, por sua vez, declarou que Lewis, de repente, ficou muito devagar e jogou o carro para o lado. “Achei que ele estivesse sofrendo algum problema e o ultrapassei”, argumentou. Porém, segundo a Auto Motor und Sport, Hamilton teria dito aos comissários que só diminuiu a velocidade porque estava com problemas de comunicação. Ou seja, não deu passagem a Trulli.

A expectativa é que, nesta quinta, já em Sepang, o caso seja esclarecido, inclusive com a ajuda de uma gravação do rádio da McLaren.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *