F1: Jenson Button vence a quarta em cinco corridas e ja visualiza título

O inglês Jenson Button, da Brawn GP, venceu neste domingo (10/05), o GP da Espanha, em Barcelona, quinta etapa da temporada. Foi a quarta vitória do inglês no ano, que já começa a visualizar a taça de Campeão Mundial de F-1. O brasileiro Rubens Barrichello completou a dobradinha da equipe. O australiano Mark Webber, da Red Bull, terminou em terceiro.

Saindo da terceira posição do grid, Barrichello fez uma grande largada, ultrapassando o pole-position Button na primeira curva. O brasileiro Felipe Massa, fazendo uso do KERS, superou o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, ganhando a terceira posição.

Na saída da segunda curva o espanhol Fernando Alonso, da Renault, disputando a sexta posição com Nico Rosberg, da Williams, mandou o alemão para fora da pista. Na volta para o traçado, Rosberg tocou no Toyota do italiano Jarno Trulli, que foi para a caixa de brita, voltando atravessado para a pista, sendo acertado com força pelos dois carros da Toro Rosso, com os Sébastien, o suíço Buemi e o francês Bourdais. O alemão Adrian Sutil, da Force India acabou se envolvendo na confusão. Apenas Rosberg e Alonso continuaram na prova. O Safety-Car foi acionado.

Barrichello era líder, seguido por Button, Massa, Vettel, Webber, Alonso, Rosberg e o alemão Timo Glock, da Toyota. O brasileiro Nelsinho Piquet, que escapou da bagunça a sua frente, vinha em 13º.

Na 6ª volta o Safety-Car voltou para os boxes. Na primeira curva Alonso passou Webber, mas pouco depois o australiano recuperou a posição. Com seu McLaren lento na pista, o finlandês Heikki Kovalainen levou o carro até os boxes, abandonando.
 
Barrichello começou a fazer voltas rápidas, aumento volta a volta sua vantagem sobre Button.  Na 18ª volta Glock foi o primeiro a parar nos boxes, para o reabastecimento e troca de pneus. Button entrou nos boxes na 19ª volta, enquanto na pista o finlandês Kimi Raikkonen, completando um ano sem vencer, abandonava com sua Ferrari. Ai aconteceu à mudança de estratégia da Brawn GP, que decidiu fazer uma parada mais longa e consequentemente abandonar a estratégia de três pits stops para Button.
 
Na volta seguinte Barrichello foi para os boxes, fazendo uma rápida parada, mostrando que a estratégia de três pits stops seria mantida para o brasileiro. Barrichello voltou em terceiro, a frente de Button. Webber também fez a sua parada.

Lider da prova, Massa parou nos boxes junto com Vettel na 21ª volta. Barrichello era novamente o primeiro, com Rosberg, que ainda não havia parado, em segundo. Cinco voltas depois o alemão foi para os boxes.

Com 26 voltas completadas Barrichello liderava com 10 segundos de frente para Button. Massa era 3º, seguido por Vettel e o alemão Nick Heidefeld, da BMW Sauber. 

Na 32ª volta Barrichello fez a sua segunda parada, novamente rápida, permanecendo com pneus macios. Ele voltou em 4º.

Button era o novo líder, seguido por Massa, Vettel, Barrichello, Webber, Alonso, Rosberg e Heidfeld. Novamente juntos, Massa e Vettel pararam nos boxes na 44ª volta, mudando os pneus para os duros, retornando em 5º e 6º lugares. Barrichello foi para a segunda posição, doze segundos atrás de Button.

Na 48ª volta o líder da temporada fez seu segundo pit stop, colocando pneus duros. Barrichello e Webber, que eram primeiro e segundo, entraram nos boxes juntos na 51ª volta. O brasileiro em sua terceira e última parada colocou pneus duros, como manda o regulamento (que exige que os pilotos usem os dois tipos de pneus disponíveis durante a corrida).

Button, caminhando para sua quarta vitória em cinco GPs, abria vantagem volta a volta sobre seu parceiro de equipe, que tinha a incomoda pressão de Webber.

Vettel pressionava Massa pela quarta posição, mas não conseguia se aproximar o suficiente para tentar a ultrapassagem sobre o brasileiro, que tinha que economizar combustível, para evitar um splash and go, que certamente o tiraria da zona de pontuação.

Faltando duas voltas para a bandeira quadriculada, Vettel passou Massa, que se arrastando na pista, não teve como evitar a ultrapassagem de Alonso na última volta. 

Button venceu com 13s056 de vantagem sobre Barrichello. Webber, numa corrida perfeita, foi o 3º, colado em Rubens. Vettel chegou em 4º, seguido por Alonso e Massa. Heidfeld e Rosberg fecharam a zona de pontos. Piquet foi o 12º.

Depois da corrida o dono da Brawn GP, Ross Brawn, explicou a mudança de estratégia de seus pilotos.

“Quando chegamos perto da janela dos primeiros pit stops, ficou claro que Jenson voltaria diretamente atrás de Nico Rosberg se adotássemos o plano de três paradas. Consequentemente, decidimos mudar o Jenson para uma estratégia de duas paradas para assegurar que ele corresse mais livre”, justificou Ross Brawn.

Ao analisar a situação de Barrichello na prova, a equipe decidiu manter o plano original, estudado antes da prova, de três paradas. “O Rubens estava extremamente rápido na frente e naquele momento a estratégia com três paradas era claramente a opção mais rápida para ele”, prosseguiu Brawn.

O rendimento dos pneus foi o motivo para a falha da estratégia segundo Brawn. “Infelizmente, os pneus dele não tiveram um bom desempenho depois da segunda parada, o que comprometeu o ritmo e acabou custando-lhe a corrida”, declarou o dirigente.

Barrichello se mostrou frustrado por não ter vencido, e acabando que um jejum de cinco anos.

“Alguma coisa aconteceu com o carro na parte final, porque o carro piorou depois da minha terceira troca. Fico frustrado por não ter conquistado a vitória, mas feliz pela equipe”, disse o vice-líder do campeonato.

Button tem 41 pontos na tabela, quatorze a mais do que Barrichello. Vettel, com 23, é o 3º.

A próxima etapa, o GP de Mônaco, em Monte Carlo, acontece no dia 24 de maio.

Final:

1. Jenson Button GBR Brawn-Mercedes 66 voltas em1h37m19.202
2. Rubens Barrichello BRA Brawn-Mercedes a 13.056
3. Mark Webber AUS Red Bull-Renault a 13.924
4. Sebastian Vettel ALE Red Bull-Renault a 18.941
5. Fernando Alonso ESP Renault a 43.166
6. Felipe Massa BRA Ferrari a 50.827
7. Nick Heidfeld ALE BMW Sauber a 52.312
8. Nico Rosberg ALE Williams-Toyota a 1m05.211
9. Lewis Hamilton GBR McLaren-Mercedes a 1 volta
10. Timo Glock ALE Toyota a 1 volta
11. Robert Kubica POL BMW Sauber a 1 volta
12. Nelson Piquet BRA Renault a 1 volta
13. Kazuki Nakajima JAP Williams-Toyota a 1 volta
14. Giancarlo Fisichella ITA Force India-Mercedes a 1 volta

Abandonos

Kimi Raikkonen FIN Ferrari 17 voltas     
Heikki Kovalainen FIN McLaren-Mercedes 7voltas      
Jarno Trulli ITA Toyota 0 volta   
Sebastien Buemi SUI Toro Rosso-Ferrari 0 volta   
Sebastien Bourdais FRA Toro Rosso-Ferrari 0 volta   
Adrian Sutil ALE Force India-Mercedes 0 volta   

Volta mais rápida: Rubens Barrichello em 1m22s762 na 28ª

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *