F1: Jornalistas e fotógrafos da F1 têm vistos negados no Bahrein

As autoridades do Bahrein negaram vistos para jornalistas e fotógrafos de agências internacionais de notícias para cobrir o Grande Prêmio de Fórmula 1, cujos treinos começam na sexta-feira.

Um fotógrafo baseado em Dubai, credenciado pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA), foi informado pela Autoridade de Informações do Bahrein que não tinha sido possível conceder seu visto devido ao grande número de pedidos dos meios de comunicação.
A agência de notícias Associated Press anunciou, por sua vez, que dois de seus jornalistas baseados em Dubai foram impedidos de cobrir o GP por falta de vistos, embora tenham sido credenciados pela FIA.
Os fotógrafos e cinegrafistas que obtiveram os vistos tiveram que colar adesivos fluorescentes em seus aparelhos para serem facilmente identificados e, assim, impedidos de cobrir eventuais manifestações fora do circuito.
Já em fevereiro as autoridades do Bahrein se recusaram a emitir vistos para vários correspondentes internacionais para que não viajassem ao reino para cobrir o primeiro aniversário da revolta contra a monarquia.
As autoridades do Bahrein também não responderam, até este momento, a um pedido da AFP, apresentado em janeiro, para credenciar um fotógrafo local.
Elas já haviam proibido, na primavera de 2011, o correspondente local da AFP de trabalhar, como parte de uma série de medidas que afetaram correspondentes da imprensa estrangeira.
O Reino do Bahrein é sacudido desde fevereiro de 2011 por uma contestação liderada por xiitas, que são maioria, e que exigem uma monarquia constitucional neste país governado por uma família real sunita.
Fonte: AFP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *