F1: Justiça alemã investiga Ecclestone por corrupção

Suposta fraude sobre os direitos comerciais da Fórmula 1 coloca o dirigente em maus lençóis

O Ministério Público de Munique (sul da Alemanha) investiga a suspeita de envolvimento do chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, em um caso de fraude sobre os direitos comerciais da categoria, informa neste sábado o diário local “Süddeutsche Zeitung”.

Os investigadores buscam saber se Ecclestone subornou o banqueiro alemão Gerhard Gribkowsky, ex-diretor do banco público Bayrische Landesbank (banco do estado alemão da Baviera), preso em janeiro passado por desvio de verbas, corrupção e fraude fiscal.

Segundo a promotoria, Gribkowsky teria recebido US$ 50 milhões para a venda da participação de sua entidade financeira na F-1, operação camuflada como contratos para assessores. Há suspeitas de que parte desse dinheiro poderia proceder de Ecclestone.

Gerhard Gribkowsky criou várias entidades na operação para burlar a declaração desse dinheiro à Receita da Alemanha. Os fundos teriam origem em contas bancárias do Caribe e das Ilhas Maurício.

Caso a suspeita sobre Ecclestone seja confirmada, o chefe da F-1 pode responder por crime de colaboração em desvio de verbas.

Ecclestone, de 80 anos, se apresentou no último dia 6 em Munique a pedido da promotoria e foi interrogado na qualidade de suspeito, e não como pretendia, na qualidade de testemunha. Ele negou todas as acusações.

Após tais depoimentos, os investigadores decidiram não emitir, por enquanto, uma ordem de prisão contra o réu.

Fonte: LANCEPRESS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *