F1: Lewis Hamilton vence de ponta a ponta em Monza

O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) venceu de ponta a ponta o GP da Itália, em Monza, 12ª etapa da temporada. Foi a sétima vitória de Hamilton no ano, e 40ª na categoria. O alemão Sebastian Vettel (Ferrari) e o brasileiro Felipe Massa (Williams) completaram o pódio.

Click em Slide para mais fotos (FIA)

Pole-position, Hamilton dominou a prova, vencendo de ponta a ponta (fez a sua parada nos boxes na 26ª volta, sem perder a liderança). No final, o líder do campeonato recebeu a bandeirada com 25 segundos de vantagem sobre Vettel.

A última vaga no pódio foi definida na linha de chegada, com Massa cruzando em terceiro, apenas 0s350 a frente do parceiro de equipe, o finlandês Valtteri Bottas. 

O finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari), em quinto, fez uma prova de recuperação. Segundo no grid, a Ferrari quase morreu na largada, com o finlandês largando lentamente, e caindo para o último lugar.

Aproveitando a potencia do motor Mercedes, em uma pista de alta velocidade, a Force India colocou o mexicano Sergio Pérez em sexto, seguido pelo parceiro de equipe, o alemão Nico Hulkenberg. 

O australiano Daniel Ricciardo (Red Bull), o sueco Marcus Ericsson (Sauber) e o russo Daniil Kvyat (Red Bull) fecharam a zona de pontos.

Logo após a largada, o brasileiro Felipe Nasr (Sauber) e o francês Romain Grosjean (Lotus) se tocaram, tendo que fazer uma parada não programada nos boxes. Nasr terminou na 13ª posição.

Para decepção da Lotus, Grosjean, com a suspensão quebrada, abandonou na primeira volta assim com o seu parceiro de equipe, o venezuelano Pastor Maldonado, que teve problemas mecânicos. 

A outra Mercedes, do alemão Nico Rosberg, ocupava a terceira posição, quando o motor quebrou. Faltando apenas três voltas para o final.

Depois da prova, a FIA abriu uma investigação a pressão dos pneus dos carros da Mercedes. Nas voltas finais, a equipe pediu a Hamilton para aumentar o regime do motor, forçando o ritmo, insistindo no pedido: “fizesse o que estava sendo pedido e não questionasse, pois lhe explicariam após o fim da corrida”. 

E uma possível punição em tempo seria aplicada. Hamilton poderia estar aumentando o ritmo, para mesmo punido, não perder a vitória.

Um comunicado emitido pela FIA antes do final da prova, dizia a pressão dos pneus das Mercedes estaria fora de especificação. A Pirelli, fornecedora de pneus da categoria, orienta as equipes a utilizar uma pressão acima de 19,5 psi no começo da prova. A investigação da FIA constatou que o pneu traseiro esquerdo de Hamilton estava 0s3 psi abaixo do padrão. E o de Rosberg 1,1 psi abaixo.

Após a investigação, a FIA decidiu não punir a equipe, nem os pilotos. E o resultado foi mantido.

Confira o comunicado oficial da FIA após a investigação:

“Depois de ouvir o delegado-técnico, os representantes da equipe e os engenheiros da Pirelli, determinados que a pressão dos pneus estava dentro do padrão mínimo quando eles foram acoplados ao carro.

De modo a deixar tudo claro, os comissários observaram que os cobertores de aquecimento dos pneus foram desligados de sua fonte de energia – parte de um procedimento normal – e os pneus estavam significativamente abaixo da temperatura máxima permitida no momento da medição da FIA no grid, e as temperaturas estavam muito diferentes dos outros carros examinados no grid.

Além disso, a comissão ficou satisfeita em observar que a equipe seguiu o procedimento especificado sob supervisão do fabricante de pneus para o funcionamento seguro do conjunto. Assim, a comissão optou por não aplicar nenhuma punição”.

Hamilton lidera o campeonato com 252 pontos, seguido por Rosberg com 199 e Vettel com 178. Massa é o quarto com 97. Nasr com 16 pontos ocupa a 13ª posição.

A próxima etapa, o GP de Cingapura, acontece no dia 20 de setembro. 

Final:

1. Lewis Hamilton GBR Mercedes-Mercedes 53 voltas em 1h18m00s688

2. Sebastian Vettel GER Ferrari-Ferrari +25.0s 

3. Felipe Massa BRZ Williams-Mercedes +47.6s 

4. Valtteri Bottas FIN Williams-Mercedes +47.9s 

5. Kimi Raikkonen FIN Ferrari-Ferrari +1m 08.8s 

6. Sergio Perez MEX Force India-Mercedes +1m 12.7s 

7. Nico Hulkenberg GER Force India-Mercedes +1 volta

8. Daniel Ricciardo AUS Red Bull-Renault +1  

9. Marcus Ericsson SWE Sauber-Ferrari +1 

10. Daniil Kvyat RUS Red Bull-Renault +1 

11. Carlos Sainz Jr ESP Toro Rosso-Renault +1 

12. Max Verstappen NED Toro Rosso-Renault +1 l

13. Felipe Nasr BRZ Sauber-Ferrari +1 

14. Jenson Button GBR McLaren-Honda +1 

15. Will Stevens GBR Manor-Ferrari +2 

16. Roberto Merhi ESP Manor-Ferrari +2 

Abandonos:

Nico Rosberg GER Mercedes-Mercedes 51 voltas 

Fernando Alonso ESP McLaren-Honda 48 

Romain Grosjean FRA Lotus-Mercedes 1 

Pastor Maldonado VEN Lotus-Mercedes 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *