F1: Lewis Hamilton vence em Xangai. Felipe Massa é 2º e decisão vai para o Brasil

O inglês Lewis Hamilton, da McLaren, venceu neste domingo (19/10), o GP da China, em Xangai, penúltima etapa da temporada. Com a vitória o inglês precisa apenas de um quinto lugar no Brasil para se sagrar campeão. O brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, com a ajuda de seu companheiro de equipe, o finlandês Kimi Raikkonen, chegou em 2º, levando a decisão para Interlagos, daqui a duas semanas. Raikkonen completou o pódio.

Pole-position, Hamilton manteve a primeira posição na largada, seguido por Raikkonen e Massa. O finlandês Heikki Kovalainen, da McLaren, superou o espanhol Fernando Alonso, da Renault, indo para a 4ª posição. Antes do final da volta o bi-campeão recuperou a posição.


Na primeira curva o italiano Jarno Trulli, da Toyota, e o francês Sébastien Bourdais, da Toro Rosso, se tocaram, com ambos rodando e voltando a prova. Trulli teve que ir aos boxes, colocar um novo nariz em seu carro. Na 3ª volta, lento na pista, o italiano retornou aos pits, abandonando.


Uma pequena possibilidade de chuva, por volta de 20%, foi anunciada pela direção de prova. Logo nas voltas iniciais Hamilton foi abrindo vantagem sobre o resto do pelotão, colocando 3 segundos para o 2º, Raikkonen.


Bem leve, devido à punição em que perdeu dez posições no grid, o australiano Mark Webber, da Red Bull, ia fazendo ultrapassagens, até ser o primeiro a ir aos boxes, na 13ª volta. Ele voltou em 18º. O alemão Adrian Sutil, da Force India, abandonou, parando o carro lado da pista.


Na 15ª volta, Massa e Alonso foram para os boxes, com o brasileiro mantendo os pneus macios. Na seguinte Hamilton e Raikkonen, que colocou pneus duros, fizeram as suas paradas. Kovalainen assumiu a liderança, até parar três voltas depois.


Hamilton voltou à liderança, com sete segundos de vantagem para Raikkonen. Sem ter feito o seu primeiro pit stop, o polonês Robert Kubica, da BMW Sauber, e que lutava para se manter vivo na luta pelo título, era o 3º. Massa era o 4º, seguido pelo compatriota Nelsinho Piquet, também sem ter parado com sua Renault, e Alonso.


Na 25ª volta, Piquet parou nos boxes, e na seguinte foi a vez de Kubica, que somente reabasteceu, mantendo o mesmo jogo de pneus.


Com Hamilton tranqüilo na ponta, a preocupação da Ferrari passou a ser colocar Massa na segunda posição, de uma forma limpa, ou seja, com Raikkonen diminuindo o ritmo até que o brasileiro fizesse a ultrapassagem, na pista ou nos boxes.


Na 5ª posição, Kovalainen teve o pneu dianteiro direito, se arrastando pela pista, até os boxes. Ele perdeu uma volta, caindo para 16º.


Na 37ª volta, os lideres começaram a fazer a segunda parada nos boxes, com Alonso. Massa parou na seguinte, e como manda o regulamento, que obriga o uso dos dois tipos de compostos disponíveis durante a prova, colocou pneus duros. Hamilton e Raikkonen pararam na 39ª, com ambos colocando pneus moles.


Nas voltas finais era só questão de tempo para que Massa superasse o parceiro de equipe, o que aconteceu na 50ª passagem. Na mesma volta Kovalainen levou o carro direto para a garagem, abandonando.


Hamilton venceu pela quinta vez no ano, com 16s6 de vantagem sobre Massa. Raikkonen foi 3º, seguido por Alonso, em mais uma ótima apresentação. O alemão Nick Heidfeld, da BMW Sauber, chegou em 5º, com Kubica, que agora não tem mais chances de levar a taça, na 6ª posição. O alemão Timo Glock, da Toyota e Piquet, fecharam os oito primeiros. O brasileiro Rubens Barrichello, da Honda, completou na 11ª posição.


Hamilton chegou aos 94 pontos, sete a mais do que Massa. Um quinto lugar no GP do Brasil, no dia 02 de novembro, garante o primeiro título da Inglaterra desde Damon Hill em 1996.


Massa precisa no mínimo de um segundo lugar, contando que Hamilton não pontue, para dar ao Brasil um título que não vem desde 1991, com Ayrton Senna. Se vencer e o inglês marcar três pontos, fica com o título, pelo número de vitórias, seis a cinco.


Final:


1. Lewis Hamilton GBR McLaren-Mercedes 56 voltas em1h31m57.403
2. Felipe Massa BRA Ferrari a 14.925
3. Kimi Raikkonen FIN Ferrari a 16.445
4. Fernando Alonso ESP Renault a 18.370
5. Nick Heidfeld ALE BMW Sauber a 28.923
6. Robert Kubica POL BMW Sauber a 33.219
7. Timo Glock ALE Toyota a 41.722
8. Nelson Piquet BRA Renault a 56.645
9. Sebastian Vettel ALE Toro Rosso-Ferrari a 1m04.339
10. David Coulthard GBR Red Bull-Renault a 1m14.842
11. Rubens Barrichello BRA Honda a 1m25.061
12. Kazuki Nakajima JAP Williams-Toyota a 1m30.847
13. Sebastien Bourdais FRA Toro Rosso-Ferrari a 1m31.457
14. Mark Webber AUS Red Bull-Renault a 1m32.422
15. Nico Rosberg ALE Williams-Toyota a 1 volta
16. Jenson Button GBR Honda a 1 volta
17. Giancarlo Fisichella ITA Force India-Ferrari a 1 volta


Abandonos:
 
Heikki Kovalainen FIN McLaren-Mercedes 49  
Adrian Sutil ALE Force India-Ferrari 13  
Jarno Trulli ITA Toyota 2
Volta mais rápida:
 
Lewis Hamilton GBR McLaren-Mercedes 13 1:36.325

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *