F1: Luiz Razia será o quinto brasileiro na categoria em 2010

Aos 20 anos de idade e com apenas uma temporada na Fórmula GP2, baiano foi confirmado nesta terça-feira (15) como piloto de testes da estreante Virgin Racing.

O baiano Luiz Razia é o quinto brasileiro confirmado na temporada 2010 da Fórmula 1. Ele foi anunciado na manhã desta terça-feira (15) como piloto de testes da equipe Virgin Racing – um dos quatro times que estreiam na categoria na próxima temporada – e chega à Fórmula 1 aos 20 anos de idade, depois de apenas uma temporada na Fórmula GP2. Razia dividirá com o português Álvaro Parente, também oriundo da categoria de acesso, a posição de test driver do novo time; e terá como companheiros de equipe o também brasileiro Lucas di Grassi e o alemão Timo Glock, que formarão a dupla titular.

Depois de apenas cinco anos de carreira no automobilismo, Razia chega à Fórmula 1 seguindo os passos de outros pilotos que conquistaram vaga de titular na categoria depois de terem sido pilotos de teste. Foi o caso, por exemplo, de Nelsinho Piquet – piloto de testes da equipe Renault em 2007 e titular no ano seguinte -, do alemão Nico Hulkenberg – que será companheiro de Rubens Barrichello na Williams em 2010 depois de ter sido piloto reserva do time na última temporada – e do próprio Di Grassi – que também foi piloto de testes da Renault e agora estreia como titular na Virgin.

O que também chama a atenção na trajetória de Luiz Razia é a grande experiência e conhecimento técnico acumulados por ele em apenas cinco anos de carreira focada na Fórmula 1, que resultaram na conquista de vitórias em todos os campeonatos por onde ele passou – desde as primeiras aceleradas em pistas de autocross no interior da Bahia, até a Fórmula GP2.

“Vejo nesse contrato com a Virgin uma excelente oportunidade de crescimento como piloto e como profissional”, aponta Razia. “Este momento representa o começo de um novo e longo trabalho, e também a realização de um sonho. Desde que comecei a correr de kart tenho como objetivo a Fórmula 1, e só agora, que tenho meu primeiro contrato assinado com uma escuderia da categoria e depois de participar da apresentação oficial, é que me dei conta de que isso é, de fato, real”, admite o piloto.

O piloto baiano reforçou que o aprendizado será o principal objetivo na temporada 2010, e afirmou que tem a intenção de continuar na ativa, também, como piloto da Fórmula GP2. “Acompanharei a equipe nos testes de pré-temporada, e nesse período devo ter a primeira oportunidade de guiar o carro. Vou ter, também, a oportunidade de trabalhar muito no simulador, e estarei em todas as provas acompanhando o trabalho dos engenheiros e dos pilotos titulares. Certamente este será um ano de muito aprendizado”, destaca Razia, que também participará dos testes para pilotos novatos na Fórmula 1 ao final da temporada 2010.

Como aconteceu no início de dezembro deste ano, as equipes da categoria devem realizar treinos coletivos voltados exclusivamente para pilotos novatos, ou, como define o regulamento, pilotos que tenham disputado até três corridas na categoria máxima do automobilismo.

A chance de dividir a equipe com um conterrâneo também é encarada de forma positiva por Razia. Ele e Di Grassi não chegaram a correr juntos no Brasil – Lucas estreou no automobilismo em 2002 e Razia, em 2005 -, mas disputaram a temporada de 2009 da GP2 pelas equipes Coloni e Racing Engeneering, respectivamente.

“O Lucas teve a oportunidade que merecia, e agora será piloto oficial depois de uma trajetória muito vitoriosa no automobilismo. Será ótimo tê-lo como companheiro de equipe e espero aprender muito com ele também”, completa o baiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *