F1: Massa defende-se das críticas ao seu erro na Malásia

“Não quis passar a corrida olhando para a Mclaren”, diz Massa

O brasileiro da Ferrari Felipe Massa defendeu, nesta terça-feira, sua tentativa de ultrapassagem sobre Lewis Hamilton no GP da Malásia ao insistir que apenas um movimento agressivo e naquele momento permitiria que ele ultrapassasse o piloto da McLaren.

Massa dominou os treinos livres e de classificação em Sepang, mas caiu para o terceiro lugar logo na largada. Na tentativa de recuperar posições, ele cometeu um erro e foi parar na grama, perdeu outros dois lugares e terminou em quinto.

“A única certeza que eu tinha era de que, tendo perdido posição para a Alonso e Hamilton, se eu não fizesse as ultrapassagens o mais cedo possível, minha corrida estava definitivamente encerrada”, disse Massa.

“Naquele momento o melhor que eu poderia ter conseguido seria o terceiro lugar. Com meu reabastecimento na volta 17 e o de Lewis três voltas mais tarde, eu nunca o conseguiria ultrapassar nos pit stops, então a única coisa a fazer era tentar ultrapassá-lo na pista.”

“Foi aí que eu disse para mim mesmo que não queria ficar atrás, olhando para uma McLaren durante uma corrida inteira”, afirmou. “Se as pessoas me acusam de cometer um erro, eu digo, sim, eu cometi, porque senão eu estaria na frente dele.”

Massa continua dizendo que apesar disso não ficou decepcionado pela tentativa. De acordo com o piloto ferrarista, caso passe pela mesma situação no futuro, agirá da mesma forma. “Sei que pode parecer outra coisa fora do carro, mas lá dentro, com as informações que temos, o que tentei fazer foi o correto.”

Ao mesmo tempo em que o brasileiro sugere que a Ferrari não teve chance de mostrar em Sepang todo o seu potencial de desempenho, afirmou que a McLaren melhorou. “Nós não tivemos um bom ritmo de corrida em Sepang. Por quê? Para ser honesto, não temos certeza. Um pouco disto vem do acerto do carro e de partes que usamos na corrida, mas o que está claro é que a McLaren deu um bom passo adiante.”

Massa ainda acrescentou que não sabe dizer se “o real ritmo da Ferrari teria alcançado o da adversária, mas que tem um bom carro”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *