F1: Mercedes revela que em troca da DTM, Bruno queria garantia na F-1

Quando rejeitou participar do Campeonato Alemão de Turismo (DTM), Bruno Senna argumentara que queria manter o foco em carros parecidos com os da Fórmula 1. Na prática, porém, o desfecho negativo das negociações entre o brasileiro e a Mercedes ocorreu porque a montadora não pôde garantir uma vaga na F-1 para o piloto, conforme revelou o diretor esportivo Norbert Haug nesta terça-feira.

Principal representante da Mercedes na Fórmula 1, Haug confirmou que Bruno, em troca da disputa da DTM nesta temporada, queria que os alemães lhe assegurassem um contrato na Fórmula 1, visto que a marca fornece motores para três equipes da categoria – Force India, Brawn GP e McLaren, da qual ainda é parceira.

“Nós discutimos isso, e ele queria que firmássemos um compromisso para colocá-lo na F-1. Eu falei com Ross (Brawn) e Martin (Whitmarsh) e eles disseram ‘sim, podemos desenvolver opções, mas não podemos dar isso como 100% certo'”, afirmou o dirigente, explicando ao Autosport o motivo pelo qual sobrinho de Ayrton Senna desistiu de entrar no campeonato germânico de última hora após ter testado um Mercedes Classe-C em março.

Críticas: Embora afirme respeitar a postura do atual vice- campeão da GP2, Norbert Haug, obviamente, não concorda com ela. Por isso, chegou a fazer pequenas críticas ao piloto de 25 anos.

“Ao final, nós tentamos, mas se você quiser galgar um degrau você precisa estar ‘quente’, precisa sonhar dia e noite com isso, o que talvez ele não tenha feito. Mas é justo o bastante, então ok. Eu respeito totalmente a sua posição, mas espero que no meio deste ano ele pense ‘ó, deveria ter feito isso'”, apontou.

Utilizando o exemplo do escocês Paul di Resta, que recentemente chegou a testar pela McLaren, Haug lamentou por Bruno Senna não ter entendido que a DTM não lhe fecharia as portas para a Fórmula 1. “Se depois do primeiro teste em Hockenheim um chefe de equipe da F-1 telefonasse e lhe oferecesse um carro, ele ficaria livre. Se um jovem piloto não sonha com F-1, nem deveria vir até nós. Eu teria um problema se Paul di Resta me falasse: ‘Norbert, Fórmula 1 nunca’. É normal que você sonhe com o topo”.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *