F1: Mosley alerta FIA sobre ‘período difícil’ e pode permanecer

O desejo público da Fota (Associação de Equipes da Fórmula 1) de ter um ‘presidente independente’ no comando da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) irritou bastante Max Mosley. Se na noite de quinta-feira o britânico já havia cobrado um pedido de desculpas de Luca di Montezemolo, homem-forte da Ferrari, nesta sexta ele escreveu uma carta indicando que, dado o ‘período difícil’ enfrentado pela entidade, poderia até permanecer em seu cargo atual.

Embora a troca de farpas com os times havia sido minimizada na última quarta-feira, quando um acordo garantiu a continuidade da Fórmula 1, toda a paz voltou a ser ameaçada na quinta. Após ver que a Fota gostaria de escolher o novo presidente da FIA, Mosley se rebelou e novamente disse que a escolha de seu sucessor depende exclusivamente do órgão que rege o automobilismo mundial.

“Essa questão é uma matéria exclusiva de vocês, membros da FIA, e definitivamente não dos construtores de carros”, ratificou o mandatário. “Ter um presidente sob influência da Fota colocaria em risco todo o excelente trabalho de nossa organização e na promoção de melhores resultados ambientalistas e relativos à segurança da frota de veículos”, completou.

Mesmo sem ter dito isso publicamente, portanto, fica clara a indicação de Mosley de que ele pode aumentar seu período de 18 anos à frente do órgão se julgar necessário. “Precisamos continuar defendendo a nossa independência, ainda que isso leve o esporte a passar por dificuldades”, apontou. Vale lembrar que, na última quarta, o inglês concordou em não se candidatar à reeleição em outubro para garantir a sobrevivência da Fórmula 1. Além disso, ele ainda teve de abrir mão do teto orçamentário opcional que queria inserir no regulamento do Mundial de 2010, saindo ‘derrotado’ da reunião realizada em Paris.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *