F1: Mosley teria perdido processo para bloquear vídeo de orgia

De acordo com informação publicada hoje no jornal inglês The Times, o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Max Mosley, perdeu o processo movido para bloquear o vídeo postado pelo jornal inglês News of the World no dia 30 de março.

Nele, o dirigente aparece em uma orgia sadomasoquista com referências ao nazismo ao lado de cinco prostitutas. O incidente provocou o aumento da pressão para que Mosley deixasse o cargo.


O Juizado da Alta Corte da Inglaterra considerou que o vídeo já é de domínio público e seria impossível controlar a sua reprodução na Internet. “Seria como nadar contra as ondas”, justificou o tribunal.


O juiz responsável pelo vídeo, Justice Eady, comentou a permissão dada ao jornal no caso. “Eu cheguei, com alguma relutância, à conclusão que embora este material seja invasivo e degradante, e apesar do fato de que não existe interesse público no que nele está contido, garantir uma ordem contra ele neste momento seria apenas um gesto fugaz. O dano já está efetivamente feito”, avaliou.


Apesar da polêmica ganhar um alívio, Mosley segue processando o tablóide. A primeira audiência deve acontecer, porém, apenas em julho. Até o momento, o dirigente não dá sinais de que deva aceitar os pedidos de renúncia do cargo.


Com informações da agência Lancenet.


Fonte: Terra

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *