F1: “Muito político”, GP da Índia deve deixar o calendário da F-1 em 2014

Aos poucos, o calendário de 2014 da Fórmula 1 vai ganhando forma. Após a entrada de três novos GPs, em Sochi (RUS), na Red Bull Ring (AUT) e em Nova Jérsei (EUA), o chefão Bernie Ecclestone revelou nesta segunda-feira o primeiro corte de uma prova que faz parte do atual cronograma da categoria.

Trata-se do GP da India, prova que debutou na Fórmula 1 em 2011. A prova em Buddh é uma das mais criticadas pelas equipes, já que o governo local não entende a categoria como esporte e, por conta disso, pode cobrar impostos sobre a premiação por elas recebida durante a etapa.

“A Índia estará no (calendário do) próximo ano? Provavelmente não”, confessou à o dirigente máximo da Fórmula 1 agência de notícias Reuters. “É muito político”, explica.

Desde a última semana, quando a Red Bull confirmou a entrada de seu circuito no calendário de 2014, Ecclestone tem ressaltado que não serão realizadas mais de 20 provas na próxima temporada. Com a iminente saída do GP da Índia, resta apenas a retirada de uma etapa do atual cronograma para que o número seja alcançado.

Neste ano, o circuito de Buddh receberá o terceiro GP de sua história no dia 27 de outubro. Nos dois primeiros anos da Índia na Fórmula 1, Sebastian Vettel subiu ao lugar mais alto do pódio por duas vezes consecutivas.

Fonte: GazetaEsportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *