F1: Na Williams por dois anos, Rubinho deve atingir 300 GPs

Já o piloto com o maior número de corridas disputadas da história da Fórmula 1, Rubens Barrichello tem tudo para atingir a marca de 300 grandes prêmios correndo pela Williams. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, o brasileiro já teria assinado um contrato de dois anos com a escuderia inglesa, que, assim como o piloto, ainda não confirma a informação.

Na semana passada, a revista londrina Autosport já havia informado que antes da etapa de Cingapura, no fim de setembro, Rubinho chegou a visitar a fábrica da Williams em Grove.

De acordo com o que publica a edição desta segunda-feira do O Estado de S. Paulo, essa viagem serviu para acertar os últimos detalhes do vínculo do piloto, que seria válido até 2011 – ao fim da temporada 2010, o time ainda teria a possibilidade de romper o acordo, dependendo do rendimento apresentado. Caso tudo isso seja confirmado, o paulista completará sua 300ª participação na Fórmula 1 na Bélgica, em 29 de agosto.

Quando se dirigiu a Grove, Barrichello teria ainda aproveitado até para tirar um molde do cockpit da Williams com a finalidade de ajustar o carro as suas características. Como ele breca com o pé direito, é necessária uma grande alteração na estrutura do monoposto, incluindo uma elevação na coluna de direção.

Na sexta melhor equipe da temporada 2009, o brasileiro deve ser acompanhado por Nico Hulkenberg. Atual campeão da GP2 e já testador dos ingleses, o alemão é cotado para substituir Kazuki Nakajima, que será provavelmente demitido com o fim de parceria com a Toyota. Sem a montadora japonesa, a Williams estuda correr com motores da Cosworth, marca que volta à Fórmula 1 para fornecer propulsores ao menos às estreantes Campos, Manor, Lótus e USF1.

A manobra que já teria levado Rubinho a Grove engloba ainda a transferência de Nico Rosberg à Brawn GP. Sócio da McLaren, o grupo de investimento árabe Aabar está prestes a se tornar sócio majoritário da Brawn e assim finalmente completaria o objetivo da montadora alemã: ligar-se a um piloto germânico, no caso o filho de Keke Rosberg.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *