F1: Nico Rosberg vence GP de Mônaco

O alemão Nico Rosberg (Mercedes) venceu neste domingo (25/05), o GP de Monaco, em Monte Carlo, sexta etapa da temporada. Foi a segunda vitória de Rosberg no ano, O britânico Lewis Hamilton completou a dobradinha da Mercedes. O australiano Daniel Ricciardo (Red Bull) foi o terceiro.

Pole-position, Rosberg manteve a ponta na largada, seguido por Hamilton, o alemão Sebastian Vettel, o finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari), Ricciardo, e o espanhol Fernando Alonso (Ferrari).

Na curva Mirabeau, o mexicano Sergio Pérez (Force India) foi tocado pelo britânico Jenson Button (McLaren) e rodou. Com o carro de Pérez parado na pista, o Safety-Car foi acionado.

A relargada aconteceu na 4ª volta. Com problemas no motor Renault, Vettel ficou lento na pista e perdeu posições. O tetracampeão levou o carro para os boxes, ficou muito tempo parado, e voltou em último. Uma volta depois, Vettel abandonou.

O russo Daniil Kyat (Toro Rosso), que vinha entre os de primeiros, também abandonou nos boxes.

Rosberg mantém a liderança, seguido por Hamilton e Raikkonen. O brasileiro Felipe Massa (Williams), após largar da 16ª posição, ocupava a 10ª.

Na 26ª volta, o alemão Adrian Sutil (Sauber) perdeu o controle do carro na chicane e bateu forte. O Safety-Car foi novamente acionado.

A maioria dos pilotos entre nos boxes, para a troca de pneus, com as Mercedes entrando juntas. Hamilton não gostou da estratégia, e questionou a equipe, via rádio.

Raikkonen entrou nos boxes pouco antes do Safety-Car deixar a pista, e caiu de 3º para 14º. O finlandês ainda se envolveu em um toque com o britânico Max Chilton (Marussia) durante o Safety-Car.

Na relargada, na 31ª volta, Rosberg era líder, seguido por Hamilton, Ricciardo, Alonso e Massa (que ainda não tinha feito à parada).

Com metade da prova disputada, Hamilton diminuiu a vantagem de Rosberg para menos de um segundo.

Na 52ª volta, o francês Jean-Eric Vergne (Toro Rosso), que já havia cumprindo um drive-through por saída perigosa dos pits, abandonou com o motor Renault estourado.

Cinco voltas depois, o motor Mercedes da Williams do finlandês Valtteri Bottas também estourou. O carro ficou travado na curva, e o Safety-Car foi acionado pela terceira vez.

O mexicano Esteban Guttierrez (Sauber), que vinha em 9º lugar, bateu na Rascasse, e abandonou.

A relargada aconteceu na 64ª volta. Rosberg manteve a liderança, abrindo vantagem sobre Hamilton, que teve algo entrando em seu olho esquerdo, atrapalhando a sua visão.

Com o problema na visão, o britânico começou a ser pressionado por Ricciardo. Volta a volta o australiano diminuía a diferença.

Nas voltas finais, Raikkonen e o dinamarquês Kevin Magnussen (McLaren) se tocaram em disputa de posição. O finlandês teve que ir para os boxes, trocar o bico do carro. Magnussen perdeu posições, caindo para 10.

Rosberg venceu pela segunda vez consecutiva em Mônaco. Hamilton segurou Ricciardo até a linha de chegada.

Alonso terminou em quarto, seguido pelo alemão Nico Hulkenberg (Force India) e Button. Massa foi o 7º, com Grosjean em 8º. O francês terminou em 9º, mas ganhou uma posição com a punição de cinco segundos imposta ao compatriota Jules Bianchi (Marussia).

Bianchi fez uma grande prova, após largar dos boxes. O francês levou uma punição no começo da prova, de cinco segundos nos boxes, por largar fora da posição. Mas como cumpriu a punição com o Safety-car na pista, levou outra punição. O 9º lugar, contudo, marcou os primeiros pontos da Marussia na F-1. É a primeira vez que uma equipe pequena marca pontos, desde a abertura para novas equipes, em 2010.

Magnussen completou a zona de pontos.

Rosberg reassumiu a liderança do campeonato com 122 pontos, quatro a mais do que Hamilton.

A próxima etapa do calendário, o GP do Canadá, acontece no dia 8 de junho.

Final:

1. Nico Rosberg  Mercedes-Mercedes 78 volta em 1h49m27s661s
2. Lewis Hamilton Mercedes-Mercedes +00m 09.2s
3. Daniel Ricciardo Red Bull-Renault +00m 09.6s
4. Fernando Alonso Ferrari-Ferrari +00m 32.4s
5. Nico Hulkenberg Force India-Mercedes    +1 volta
6. Jenson Button McLaren-Mercedes +1
7. Felipe Massa Williams-Mercedes +1
8. Romain Grosjean Lotus-Renault    +1
9. Jules Bianchi Marussia-Ferrari +1
10. Kevin Magnussen McLaren-Mercedes +1
11. Marcus Ericsson Caterham-Renault +1
12. Kimi Raikkonen Ferrari-Ferrari +1
13. Kamui Kobayashi Caterham-Renault +3
14. Max Chilton Marussia-Ferrari +3

Abandonos
Esteban Gutierrez Sauber-Ferrari 59 voltas
Valtteri Bottas Williams-Mercedes 55
Jean-Eric Vergne Toro Rosso-Renault 50
Adrian Sutil Sauber-Ferrari 23
Daniil Kvyat Toro Rosso-Renault 10
Sebastian Vettel Red Bull-Renault 5
Sergio Perez Force India-Mercedes 0
Pastor Maldonado Lotus-Renault 0

Volta mais rápida:

Kimi Raikkonen  Ferrari-Ferrari    1m 21.146s na volta 41

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *