F1: No chove e não molha na Hungria, Rubens finaliza em 13o

Condição instável da temperatura agitou o GP da Hungria neste domingo

Uma chuva inesperada caiu nos arredores do circuito de Hungaroring horas antes da 11a etapa do mundial de F1, o GP da Hungria, disputado neste domingo (31), que deixou a corrida total atípica. Durante a prova da GP2, preliminar da categoria principal, o traçado estava bem molhado. No entanto, na largada da F1, garoava e a pista estava úmida, com alguns trechos bem escorregadios. A pista secou rapidamente com o decorrer da prova e a temperatura não passou dos 20o C.

Todos os pilotos partiram com pneus intermediários. Rubens Barrichello, que largou em 15o, ganhou quatro posições e aparecia em 11o na primeira volta. O brasileiro foi um dos primeiros que optaram por trocar o composto de chuva fraca para os pneus de pista seca, desta vez, o macio. Com isso, Rubens chegou a ocupar a 9a colocação na prova.

No entanto, na parte final da prova, a chuva voltou a cair em parte do circuito e alguns pilotos, como Lewis Hamilton e Barrichello, arriscaram colocando novamente os pneus intermediários. Não funcionou, pois a chuva só ameaçou e não caiu para valer, então, eles tiveram de fazer uma parada extra para colocar novamente os pneus macios

O clima instável fez com que a F1 batesse o recorde de paradas nos boxes, com 88 ao total, incluindo as três penalizações. Assim como o brasileiro, outros quatro pilotos fizeram cinco paradas. Lewis Hamilton fez seis visitas ao pit-lane, pois uma foi para cumprir uma punicão.

Rubens Barrichello:

“Estou bastante desapontado com o resultado porque estávamos lutando por alguns pontos hoje. Nós lutamos com os nossos pneus toda a prova, e eu perdi uma parte da minha asa dianteira no início da corrida. Então, quando começou a chover, eu vi uma grande chance para nós. Vi Hamilton rodar e pensei que poderíamos fazer algo para ter uma chance de terminar com bons pontos. Mas a chuva só caiu para uma volta e assim nossa parada para colocar os intermediários não funcionou”, comentou o brasileiro, que fez a 11a volta mais rápida da corrida.

Rubens fez 5 Pit-stops:

Volta 10: Intermediário para Macio
Volta 24: Macio para Supermacio
Volta 37: Supermacio para Supermacio
Volta 50: Supermacio para Intermediário
Volta 52: Intermediário para Macio

Pódio do GP da Hungria:

1) Jenson Button – McLaren – 3 pit-stops
2) Sebastian Vettel – Red Bull – 3 pit-stops
3) Fernando Alonso – Ferrari – 4 pit-stops

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *