F1: Peter Gethin falece aos 71 anos

O britânico venceu o GP da Itália de 1971.

O britânico Peter Gethin faleceu nesta segunda-feira (05/12), aos 71 anos, depois um longo período doente.  Campeão Britânico de F-5000 em 1969 e 1970, Gethin estreou na F-1 no GP da Holanda de 1970, substituindo o neozelandês Bruce McLaren (falecido em um acidente em Goodwood). Marcou seu primeiro ponto com o 6º lugar no GP do Canadá.

Ele permaneceu na McLaren até a metade de 1971, quando foi para a BRM, substituir outro piloto falecido (o mexicano Pedro Rodriguez). No GP da Itália daquele ano, ele recebeu a bandeirada em primeiro, com apenas 0s01 de vantagem sobre o sueco Ronnie Peterson (os cinco primeiros colocados chegaram separados por apenas 0s061 de diferença). Foi a menor diferença entre o primeiro e o segundo colocado, da história da F-1.

Gethin defendeu a BRM também em 1972, marcando apenas um ponto (6º na Itália). Em 1973 disputou apenas um GP pela BRM. Seu último GP disputado foi o da Grã-Bretanha, pela Embassy Racing.  Foram 30 GPs disputados e 11 pontos conquistados.

Ele também venceu duas provas extra-campeonato. A World Championship Victory Race, de 1971, pela BRM, e a Corrida dos Campeões de 1973 (com um Chevron de F-5000 contra um grid de F-1, que incluía, entre outros, Emerson Fittipaldi e Graham Hill).

Em 1974 foi Campeão da Tasman Series de F-5000. Dez anos depois foi o chefe de equipe da Toleman, no ano de estreia do brasileiro Ayrton Senna. Em 1986 fundou a Peter Gethin Racing, para a disputa da F-3000, que disputou o campeonato até o final da década de 1980. Sua última atividade foi em uma escola de pilotagem em Goodwood.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *