F1: Pilotos sofrem com o calor no GP da Malásia

Os pilotos da Fórmula 1 foram levados ao seu limite físico devido ao forte calor no Grande Prêmio da Malásia, no domingo.

“Foi a corrida mais difícil que já tive. É incrivelmente difícil no carro”, disse Lewis Hamilton, da McLaren, que ficou em segundo lugar, atrás de seu colega de equipe Fernando Alonso.

O britânico disputou sua primeira prova no circuito de Sepang, um dos desafios mais difíceis do ano devido à baixa umidade e temperaturas de 60 graus.

Hamilton disse que o calor foi muito alto no final da prova, de 56 voltas, quando ele estava sob forte pressão de Kimi Raikkonen, da Ferrari.

“Eu tive que ir fundo e preservar qualquer energia que tinha restado. Trabalhamos muito duro para garantir que eu estivesse em forma para essa corrida”, disse ele, explicando que bebeu líquidos durante todo o dia para evitar a desidratação.

Alonso também teve problemas para se adaptar às condições e disse que estava bebendo água a cada cinco ou seis voltas. Mas nem isso conseguiu refrescá-lo.

“Depois de 10 voltas fica como chá”, disse o espanhol. “É água a 60 graus, eu não queria beber. Beber não era um prazer”.

Domingo também provou ser difícil para o piloto holandês da Spyker, Christijan Albers, que teve problemas na caixa de câmbio.

“Infelizmente com a alta temperatura o carro pegou fogo, e foi isso”, disse Albers.

Os mecânicos da Spyker rapidamente apagaram o fogo depois que Albers teve que ir para os boxes apenas com a primeira marcha.

Fonte: Reuters - Peter Rutherford

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *