F1: Polêmica das asas: Ferrari admite “mea-culpa”

Depois do protesto de oito equipes, contra as supostas asas flexíveis da Ferrari, a equipe italiana admitiu uma “mea-culpa” e disse que irá levar novas asas dianteira e traseira para a terceira etapa do mundial, na Austrália, marcada para o dia 12 de abril. A informação é do site ”Crash.net”.

 


As reuniões feitas pelos chefes de equipe em Sepang, na Malásia, neste final de semana foram determinantes para a decisão da Ferrari. Durante o GP Bahrein, etapa de abertura do Mundial de F-1, há duas semanas, oito equipes enviaram, a FIA, uma carta pedindo esclarecimentos sobre as asas do carro do alemão Michael Schumacher. Segundo as equipes elementos das asas do carro do heptacampeão seriam móveis, o que é proibido pelo regulamento.  A FIA, depois de vistoria, disse que não havia achado nada de irregular no carro.


 


Imagens da TV alemã mostram claramente, que no início das retas, o elemento superior da asa dianteira da Ferrari se move. Isso permite um maior fluxo de ar, e consequentemente uma maior velocidade.


 


Apenas a Red Bull, que usa motores Ferrari, e sua filial, a Toro Rosso, não assinaram a carta. O carro do brasileiro Felipe Massa não foi alvo dos protestos, segundo o site da revista “Autosport”.


 


Segundo Charlie Whiting, delegado-técnico da FIA, a entidade esclarecerá o assunto antes do GP da Austrália.


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *