F1: Promessa de motores quase US$ 20 milhões mais baratos

Depois de muitas negociações, as escuderias de Fórmula 1 concordaram em cortar quase US$ 20 milhões (cerca de R$ 43 milhões) nos custos dos motores na temporada de 2011. A decisão foi tomada durante reunião da Associação das Escuderias de Fórmula 1 (da sigla em inglês FOTA) e divulgada pelo presidente da Ferrari, Luca Cordero di Montezemolo, neste domingo.

“Trabalhamos com todas as equipes para reduzirem os custos ainda mais para 2010 e 2011. Decidimos por unanimidade que em 2011 um motor irá custar US$ 6,4 milhões (R$ 13,7 milhões), comparado aos mais de US$ 25,5 milhões (aproximadamente R$ 54,8 milhões) atuais”, disse o dirigente, durante a festa de encerramento de temporada da escuderia.


Recentemente, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) disse que planejava adotar um único fornecedor de motores e transmissão no início de 2010. Isto levou a Ferrari a ameaçar deixar a categoria caso a proposta fosse adotada.


A escuderia de Maranello argumentou que isto tiraria da categoria sua essência competitiva e de desenvolvimento tecnológico. “É impensável que construtores como Ferrari, Toyota, Mercedes, Honda, Renault e BMW aceitem colocar seu trabalho em uma máquina com um motor de outra pessoa”, criticou Montezemolo à agência ANSA.


“O propósito da F-1 é que os investimentos em inovação, pesquisa e desenvolvimento sejam revertidos em um produto industrial”.


Fonte: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *