F1: Red Bull Racing arrecada R$ 1,9 milhões para pesquisa de células-tronco

Fotos de trinta mil fãs que contribuíram com instituto Wings for Life formam pintura dos carros da equipe de F1 no GP da Inglaterra.

Com mais de 30 mil fotos de fãs da Fórmula 1 que doaram 10 libras esterlinas – cerca de R$ 38,00 – para o instituto Wings for Life, os carros da Red Bull Racing foram uma das atrações principais dos treinos de abertura para o Grande Prêmio da Inglaterra, nessa sexta-feira em Silverstone.

Denominada “Faces for Charity”, a campanha da Red Bull Racing arrecadou mais de 1,9 milhões de reais para a entidade Wings for Life, que financia a pesquisa de células-tronco em busca de curas para pessoas que sofreram lesões permanentes na coluna vertebral.

Entre as faces estampadas nos carros de David Coulthard e Mark Webber estão algumas curiosidades, como os pais do próprio Coulthard, imagens de ultra-som enviadas por pais de bebês ainda não nascidos, e até mesmo as de alguns jumentos criados por Webber em uma de suas fazendas na Austrália.

“Além do aspecto importante da caridade, acho que o meu carro e o de David ficaram ótimos com a nova pintura”, Webber elogiou. “São alguns milhares de fãs a mais nos apoiando dentro da pista, e por uma causa nobre”.

Criada em 2005 pelo ex-piloto de motocross austríaco Heinz Kinigadner, a Wings for Life é uma das principais entidades de apoio à cura de lesões da coluna no mundo. Mais de 2,5 milhões de pessoas no mundo, hoje, poderiam ser beneficiadas caso a entidade seja bem-sucedida em sua busca.

“Há apenas 16 anos, uma lesão na coluna que causasse paralisia era considerada absolutamente incurável”, explica o diretor científico da Wings for Life, Dr. Jan Schwab. “Já sabemos que esse não é mais o caso. A questão agora não é mais ‘se’ encontraremos curas efetivas para pessoas paralíticas, e sim ‘quando'”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *