F1: Sem Alonso, McLaren tenta se defender na FIA

Sem a presença do espanhol Fernando Alonso, a McLaren se apresentou nesta quinta-feira para a reunião do Conselho Mundial de Automobilismo, em Paris, para se defender do caso de espionagem na Ferrari.

A reunião começou às 4h30 (de Brasília) e atraiu uma série de pessoas em torno do local. Na chegada, o presidente da FOM (Formula One Management), Bernie Ecclestone, declarou que “irá ver Justiça hoje”.

A McLaren corre risco de sofrer uma punição severa caso seja comprovado que usou o material passado por Nigel Stepney, ex-chefe dos mecânicos da Ferrari, a Mike Coughlan, ex-projetista da McLaren.

A Ferrari, que tenta uma punição para a rival, chegou reforçada pelo ex-diretor técnico Ross Brawn.

Por sua vez, a McLaren levou para a sede da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) os pilotos Lewis Hamilton e Pedro de la Rosa; Norbert Haug, diretor esportivo da Mercedes; Mansour Ojjeh, sócio da McLaren; e Ron Dennis, chefe de equipe.

“Estamos juntos. Somos um time, Sinto-me relaxado e confiante”, declarou Hamilton, líder do campeonato. A principal ausência ficou por conta de Alonso, que não teria um bom relacionamento interno na McLaren.

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *