F1: Senna lamenta ausência no primeiro treino e mira Q3

Após ceder lugar a Grosjean, brasileiro teve menos tempo de pista, mas ainda assim espera tentar top 10 no grid em Abu Dhabi

Após terminar o segundo treino livre em Abu Dhabi numa modesta 15ª colocação, Bruno Senna lamentou o tempo de pista perdido com a ausência na primeira sessão – a Renault optou por dar uma chance ao francês Romain Grosjean.

Apesar de ter tido menos voltas para dar, o brasileiro ficou relativamente próximo do companheiro de equipe Vitaly Petrov e ainda espera brigar por uma posição entre os dez melhores do grid na penúltima etapa da temporada.

Veja abaixo o que Senna disse aos jornalistas brasileiros em Abu Dhabi:

AUSÊNCIA NO PRIMEIRO TREINO LIVRE
“Perdi um pouquinho de quilometragem de tarde, o queprovavelmente me prejudicou no último setor. Estou perto do Vitaly nos setores, então não estou preocupado. A preocupação maior é com o acerto do carro e com o que melhorar. Não sei mais quanto tempo de volta temos nessa brincadeira. Mas o qualifying e a corrida não serão fáceis”.

RENAULT X ADVERSÁRIOS
“A gente está perto da Toro Rosso e da Sauber, estamos nesse bolo meio apertado, o que dá possibilidade daquele último lugar entre os dez primeiros. A Force India está um pouco à frente, não será fácil chegar neles, mas temos de ralar o máximo. Fazer 100% amanhã e no domingo e marcar pontos na deficiência dos outros”.

ABU DHABI E DIFERENÇAS ENTRE OS CARROS
“Tem bastante curva aqui, a diferença entre os carros vai fazer a vantagem, mas o piloto ainda faz diferença. Você vê o Hamilton um pouco mais rápido do que o Button. Essa pista simplesmente agradece aos carros que têm assoalho com melhor difusor soprado, como em Cingapura os carros de melhor tração. Sempre tem uma variação da sexta para o sábado, mas temos uma noção razoável do que está acontecendo”.

PNEUS MACIOS E DUROS
“A diferença de um pneu para o outro é enorme. Os carros que têm mais downforce fazem melhor uso do pneu duro. É mais uma daquelas corridas em que a estratégia fica um pouco mais fixa, vamos tentar usar ao máximo os pneus macios. Acabei não usando os pneus macios porque travei o pneu e ele ficou com o flat spot. Não achei que o pneu duro fosse ser tão lento, não gostei muito dele no carro. A degradação dos macios está mais alta do que da Índia, não vai ser uma Barcelona, em que você guarda pneu para a corrida”.

Fonte: LANCENET!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *