F1: Toro Rosso terá novo carro no GP da Turquia

A Toro Rosso programa a utilização de seu novo carro a partir do Grande Prêmio da Turquia, marcado para 11 de maio, a quinta prova da temporada 2008 da Fórmula 1.

A escuderia italiana foi forçada a iniciar o ano com o carro do ano passado porque não tinha recursos para preparar o STR3 em tempo para a corrida de abertura em Melbourne, neste domingo.


Dentro da equipe, há esperanças de que a familiaridade com o carro antigo (o STR2) poderia beneficiá-la no começo da temporada, quando as rivais ainda estão se adaptando aos novos modelos. Contudo, o diretor técnico da Toro Rosso, Giorgio Ascanelli, admite que a demora no lançamento do STR3 deve atrapalhar.


“Estamos planejando levá-lo a testes em Barcelona no início de abril, e então fazer o seu debute na Turquia – se Deus quiser”, disse Ascanelli.


“Realmente acho que agora o nível de confiabilidade atinge garantias. Penso que fizemos o possível em respeito à confiabilidade, mas é verdade que fomos progressivamente mais rápidos a cada teste”, avaliou.


“Acho que estamos por volta da 14ª ou 15ª posição no grid, e espero que possamos fazer isto com honras”, previu Ascanelli, que acredita que a equipe está tendo dificuldades com a confiabilidade dos novos componentes do STR2B, particularmente na área hidráulica e na caixa de câmbio.


Baseado no do ano passado, o modelo é considerado híbrido, já que há inovações para esta temporada, como o banimento do controle de tração. Apesar das dificuldades, Ascanelli insiste que a Toro Rosso não terá problemas para levar o seu novo carro à primeira corrida de 2009, quando mudanças mais drásticas no regulamento serão colocadas em prática.


A mais importante delas diz respeito ao dispositivo KERS (sistema de recuperação de energia cinética), que visa ao reaproveitamento de energia na forma de calor para mover o carro e cuja instalação pelas equipes será obrigatória.


“Se você tem um montante de recursos limitados, você precisa programar o tempo com mais antecedência. Este ano não foi possível, e eu sou o responsável pelo atraso. Hoje sei quais são nossas forças e fraquezas, e posso impor uma estratégia que nos dará o novo carro já em Melbourne no ano que vem”, concluiu o diretor.


Fonte: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *