F1: Vitória de Hamilton põe futuro de Alonso em xeque na McLaren

Como se já não tivesse problemas suficientes, a McLaren ainda enfrenta a ameaça de perder seu piloto Fernando Alonso no final da temporada.

 


O bicampeão mundial definitivamente parece não se entender com o companheiro de equipe Lewis Hamilton, estreante britânico de 22 anos, e depois do turbulento fim de semana na Hungria as especulações correm soltas.


“Uma coisa é certa, Alonso não estará na McLaren no ano que vem”, disse um importante membro de outra equipe à Reuters em Hungaroring.


Ron Dennis, o chefe da McLaren, tentou minimizar os boatos. “É inevitável que essas coisas sejam alvo de rumores e discussões em outros times”, afirmou ele a jornalistas, depois da corrida em que Alonso foi punido com a perda de cinco posições no grid de largada por atrapalhar Hamilton durante o treino classificatório.


Hamilton herdou a pole, liderou de ponta a ponta e celebrou sua terceira vitória em 11 provas, abrindo sete pontos de vantagem sobre o colega espanhol, que ficou em quarto. Após a corrida, Hamilton disse que Alonso não lhe dirige a palavra desde sábado.


“Temos dois pilotos contratados por vários anos. Vamos respeitar nossa parte no acordo e essa parte da situação. Esperamos que os pilotos respeitem a sua, porque é disso que trata um contrato”, disse Dennis.


Após um 2006 sem vitórias para a McLaren, Alonso esperava chegar à equipe como um salvador, mas não contava com a sensacional estréia de Hamilton na categoria. Para sua frustração, a equipe trata os dois pilotos em absoluta igualdade de condições.


“É uma situação desafiadora para comandar, e reconheço isso plenamente”, disse Dennis, que vem tendo de apagar diversos incêndios desde o mês passado, quando a equipe foi acusada de espionar a Ferrari.


“Mas isso faz parte do meu trabalho. Tenho de tomar qualquer decisão que seja do interesse do time. Definitivamente vamos manter um compromisso muito firme com nosso princípio de igualdade.”


Alonso disse no começo da temporada que ainda não estava à vontade na equipe, e desde então há sinais de que a situação piorou.


No domingo, uma bandeira espanhola nas arquibancadas trazia uma inscrição que resumia o sentimento de muitos compatriotas de Alonso: “McLaren = Traidor.”


A fábrica de rumores sugere que, se Alonso sair, o destino mais provável seria a Renault, embora um ano sabático não seja descartado.


A Renault ainda não confirmou seus pilotos para 2008, e o diretor Flavio Briatore deixou claro no fim de semana que não tem pressa nenhum.


“Não sei nada a respeito (da volta de Alonso). Nunca discutimos isso. Esse é um problema da McLaren, não meu”, declarou após a corrida de domingo.


Fonte: Reuters

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *