F1: Zak Brown afirma que McLaren não terá patrocinador principal em 2018


TwitterFacebookWhatsAppGoogle+Pin It

A McLaren não terá um patrocinador principal na temporada de 2018. Zak Brown, chefe da escuderia inglesa, afirmou que a equipe atraiu interesse de diversas empresas para 2018, mas que a possibilidade de ter um patrocinador principal não está nos planos para a próxima temporada.

Brown, assim como o ex-chefe da McLaren Ron Dennis, acredita que o o title sponsor está acabado na Fórmula 1. No entanto, a Red Bull (Aston Martin) e a Sauber (Alfa Romeu) conseguiram atrair esse tipo de patrocínio para 2018. A última vez que a equipe de Working teve um title sponsor foi entre 2007 e 2013.

“Não acho que teremos um patrocinador principal em si. O que acho é que teremos parceiros maiores. Se você olhar na Fórmula 1, ninguém menciona o nome da equipe com o patrocinador, então não acho que isso tenha muito valor. Somos a McLaren, não a ABC McLaren”, afirmou o executivo.

“Há marcas maiores, mas não quero vender o nome. Queremos manter o nome da equipe: McLaren. Na Nascar, os pilotos são treinados para sair do carro e dizer: ‘Quero agradecer ao meu Chandon Ford hoje’. Isso não acontece na Fórmula 1, então queremos proteger nossa marca”, completou.

Além disso, Zak Brown afirmou que a McLaren vem atraindo mais interesse dos patrocinadores após as mudanças da Fórmula 1 e a decisão em deixar a Honda para adotar a Renault como fornecedora de motores.

“Trouxemos alguns patrocinadores, mas não sei exatamente quando iremos anunciá-los. Ainda não acabamos, então todos os patrocinadores são bem-vindos”, disse ele. “Estamos muito empolgados. Há um bom burburinho em torno da Fórmula 1, a audiência da TV está subindo, o público na pista está aumentando, há novos proprietários, uma visão estratégica, então há um bom momento por trás da Fórmula 1”

“E aí há um bom momento por trás da McLaren. Temos Fernando (Alonso), temos Stoffel (Vandoorne), temos Lando (Norris) subindo, temos um novo parceiro de motores. Então, no geral, sentimos que estamos de vento em popa em vez de estar com vento de proa”.

Compartilhar
TwitterFacebookWhatsAppGoogle+Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *